Economia

Foto: Ascom/Fieto

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto), Roberto Magno Martins Pires, foi eleito diretor no Conselho da Confederação Nacional da Indústria (CNI) em chapa única encabeçada pelo empresário Robson Braga de Andrade reeleito, por unanimidade, para seu segundo mandato como presidente (2015-2018), nesta última terça-feira (13), em Brasília. O empresário araguainense Célio Batista, também integra, como membro suplente, o Conselho Fiscal eleito.

Os 27 presidentes de federações de indústrias dos estados e do Distrito Federal ou delegados por eles indicados participaram da votação que aconteceu no edifício-sede da CNI. A nova diretoria toma posse no dia 31 de outubro. Para os próximos quatro anos, entre os desafios citados por Braga de Andrade, está o compromisso de tornar a indústria brasileira ainda mais moderna e competitiva.

“Precisamos enfrentar as carências crônicas que tanto nos atrapalham. Vamos continuar nosso trabalho no combate à elevada burocracia e na promoção de qualificação para os jovens e trabalhadores brasileiros. Os países mais bem posicionados nos rankings de competitividade têm em comum o bom nível educacional de suas populações”, destacou, logo depois do anúncio do resultado.

“A CNI, por meio da gestão do companheiro Robson Andrade, tem apoiado importantes projetos da Fieto, como o Congresso Tocantinense da Indústria e a construção de novas escolas, que são de extrema importância ao nosso trabalho de promoção do desenvolvimento industrial. Sua reeleição e a minha participação como diretor nos dá garantias de que estes projetos continuarão sendo viabilizados”, disse o presidente da Fieto.

A chapa da diretoria eleita tem, como primeiro vice-presidente, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), Paulo Skaf; como diretor financeiro, o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (FIEP), Francisco Gadelha; e como diretor secretário, o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Pernambuco (FIEPE), Jorge Côrte Real.