Campo

Foto: Divulgação

A rotação de culturas é uma técnica agrícola que consiste na alternância planejada e ordenada do cultivo de diferentes tipos de vegetais em um determinado período e local. Este procedimento é considerado uma forma prática e eficiente de amenizar o desgaste do solo provocado pela agricultura, e vem sendo estimulado pela Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) junto aos produtores.

Para o engenheiro agrônomo da Diretoria de Fomento à Agropecuária da Seagro, Anderson Pereira, a medida garante ao agricultor uma série de vantagens, como, uma produção diversificada, melhora das características físicas, químicas e biológicas do solo, controle de plantas daninhas, doenças e pragas; e ainda contribui para o processo de reposição de matéria orgânicas do solo. “A rotação com leguminosas como feijão e soja tem a capacidade de fixar no solo nutrientes como, por exemplo, o nitrogênio, enquanto que as gramíneas como milho, sorgo e milheto contribuem para o incremento da matéria orgânica do solo ”, explica.

Outra vantagem do sistema de rotação de culturas é que a fertilidade do solo aumenta e, consequentemente, o empobrecimento do solo é reduzido. “Esta técnica também pode ser aplicada na produção de hortaliças. Neste caso, o agricultor deve mudar as famílias ou espécies que serão plantadas”, esclarece Pereira.

O secretário da Agricultura e Pecuária, Júnior Marzola, acrescenta mais vantagens à rotação de culturas “A rotação de culturas beneficia grandes, médios e pequenos produtores, pois protege o solo da ação dos agentes climáticos e mantem a umidade; auxilia na reciclagem de nutrientes das camadas profundas para as camadas superficiais do solo”, afirmou.

“Já utilizo este sistema há dez anos, o controle de pragas e bem mais fácil, o que ataca o milho não prejudica a soja e assim por diante”, explica o produtor Vandré Kappis de Aparecida do Rio Negro, a 70 km de Palmas, que produz em propriedade, soja, arroz e milho.

Saiba mais

Um esquema de rotação deve ter flexibilidade para atender as particularidades regionais e as necessidades de comercialização dos produtos. A rotação de culturas proporciona a diversificação das atividades na propriedade, o que estabelece esquemas que envolvem apenas culturas anuais, como: soja, milho, arroz, sorgo, algodão, feijão e girassol, ou de culturas anuais e pastagem. Em ambos os casos, o planejamento da propriedade, a médio e longo prazos, é necessário para que a implementação seja possível e economicamente viável.

Dados

De acordo com o oitavo levantamento divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Tocantins segue confirmando a expectativa de crescimento de quase 35% na produção de grãos em relação à safra anterior. (Ascom/Seagro)

Produtos

Área

Crescimento %

Toneladas

Crescimento %

Grãos

+ 1.051,5 mil

29,2%

 

3.529,0 mil

34,3%

Milho 2ªsafra

96,5 mil

135,9 %

453,7

135,6%

Soja

737,0

34,1%

2.224,3

44,8%

Feijão

14,9mil

19,2%

14,8 mil

15,6%