Polí­cia

Foto: Imagem ilustrativa

O inicio das férias é um momento que exige e requer mais atenção e cuidado por parte dos condutores que utilizam as rodovias. A Polícia Rodoviária Federal alerta para o aumento do fluxo de veículos nas estradas federais que coincide também com o último período e fase final da copa do munto. As orientações básicas são: se ater para as condições do veículo, do condutor e da via. Os cuidados e o nível de alerta deve ser maior neste período.

Veículos - Manutenção preventiva

Antes de viajar o motorista deve fazer uma revisão completa em seu veículo: verificar as condições dos freios, suspensão, alinhamento, pneus, estepes, sistema de injeção, condições da bateria, níveis dos fluidos, faróis e lanternas.

Motoristas - Condições e cuidados

É importante que o condutor esteja física e psicologicamente bem para conduzir o veículo durante longas horas. A postura responsável do condutor é a certeza de um trânsito mais humano e seguro. Há situações que podem ser evitadas:

Dirigir com sono ou fadiga é uma condição perigosa que deve ser evitada;

Se estiver tomando medicação, é preciso verificar antes se o remédio não apresenta reações que o impeça de dirigir;

Manter o foco na estrada. Não dispersar a atenção com o uso de telefone celular e ou outros fatores;

Importante

Já houve registros de flagrantes de condutores enviando mensagens pelo celular. Lembrar que escrever uma mensagem no celular aumenta consideravelmente o risco de acidentes. Tirar atenção da estrada por 5 segundos a uma velocidade de 80 km/h equivale a percorrer 111 metros cegamente.

Rodovias

É importante fazer um levantamento prévio do trecho a ser percorrido. Planejar com antecedência, inclusive as paradas durante a viagem. As rodovias federais no estado do Tocantins, em sua maioria, há irregularidades, alguns pontos com buracos, depressões, etc. São situações que exige ainda mais cuidado e cautela do condutor.

Acidentes – Fatores determinantes

Em 2013, dos acidentes registrados pela PRF em todo o País, 75% decorrem de falha humana. Os dados no estado do Tocantins aproximam de 82%. São acidentes que direta ou indiretamente teve como fator preponderante uma ação do condutor gerada por imprudência, imperícia ou negligência. As principais causas:

Velocidade excessiva

Mais de 1/3 dos acidentes nas rodovias federais do Tocantins tem correlação com o fator “alta velocidade”, situação que aumenta a gravidade dos acidentes, portanto é imprescindível respeitar os limites de velocidade sinalizados.

Distância de segurança

Aproximadamente 12% dos acidentes ocorrido no mês de julho de 2013 se deu em virtude do condutor não guardar distância de segurança. É importante manter o mínimo de distância segura em relação ao veículo da frente como medida importante para prevenir acidentes nas estradas. Quanto maior a velocidade desenvolvida maior deve ser a distância em relação ao veículo que trafega a sua frente.

Ultrapassagens

As ultrapassagens indevidas respondem por 10% dos acidentes de trânsito e aproximadamente 22% das vítimas fatais (dados de 2013). No mês de julho de 2013 das cinco mortes registradas, 02 foram decorrentes de ultrapassagens proibidas, culminando em colisão frontal. O grau de letalidade neste tipo de acidente é muito alto. Ultrapassagens portanto é pela esquerda e quando a sinalização assim o permitir. Aguarde portanto o momento certo. Impactos frontais muitas vezes são fatais.

Recomendações

O uso do cinto de segurança é imprescindível para a segurança dos ocupantes do veículo. A utilização do equipamento reduz os riscos de fatalidades em acidentes de trânsito. Deve ser usado por todos os ocupantes, inclusive pelos passageiros do banco traseiro.

É importante atentar para a utilização correta dos equipamentos de segurança. As crianças menores de dez anos devem ser transportadas no banco traseiro dos veículos utilizando equipamentos de retenção.

As crianças de até um ano de idade deverão ser transportadas no equipamento denominado conversível ou bebê conforto, crianças entre um e quatro anos em cadeirinhas e de quatro a sete anos e meio em assentos de elevação.

No caso da quantidade de crianças com idade inferior a dez anos exceder a capacidade de lotação do banco traseiro é permitido o transporte da criança de maior estatura no banco dianteiro, desde que utilize o dispositivo de retenção;

No caso de veículos que possuem somente banco dianteiro também é permitido o transporte de crianças de até dez anos de idade utilizando sempre o dispositivo de retenção.

Bagagens

Objetos e bagagens devem ser transportados no porta-malas. Em uma colisão, o objeto solto pode ser arremessado no interior do veículo e seu peso é multiplicado por 25 vezes, ou mais, dependendo da velocidade. É preciso estar atento quando o veículo estiver com maior carga (passageiros e bagagens) do que o usual. Nessas condições, é necessário um maior espaço para frenagens e ultrapassagens (aceleração menor), e as curvas precisarão ser realizadas em velocidades menores.

Pedestres

A possibilidade de sobrevivência a um atropelamento com velocidade superior a 80 km/h é praticamente nula. É importante evitar trafegar no acostamento e reduzir a velocidade em trechos em que há travessia de pedestres. Para os pedestres, a recomendação é utilizar as faixas de pedestres e, nas rodovias, onde houver passarela, jamais atravesse pela pista. O caminho é maior, mas muito mais seguro. (Ascom PRF)