Economia

Mensalmente a Fecomércio Tocantins em parceria com Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, realiza pesquisas voltadas aos empresários de Palmas. Em junho, os resultados obtidos demonstraram leve queda na intenção do consumo, confiança do empresário e estabilidade no endividamento e inadimplência dos consumidores. As pesquisas são realizadas somente na Capital e as entrevistas foram colhidas nos dez últimos dias do mês de maio.

A pesquisa que mede a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) teve uma queda de 1,5 pontos. Do total de entrevistados, 65,5% acreditam que sua renda está melhor que no ano passado. O dado mais expressivo é que a maioria dos entrevistados disse que está comprando menos que no mesmo período do ano passado, cerca de 46%. 39,9% acham que o consumo deverá ser maior nos próximos meses, porém apesar de ser um percentual alto, a comparação com o mês anterior registra um declínio de 5,6%.

O endividamento e a inadimplência das famílias de Palmas (PEIC) em junho mantiveram-se estável, marcando 75,2% da totalidade dos entrevistados. Mas o número de pessoas com contas em atraso subiu, registrando no mês passado, 9,1%, um aumento de 0,6%. Já as que afirmaram não terem condições de quitar seus débitos em atraso não ultrapassou 0,1%. A maioria das pessoas, 70,8%, considera-se pouco endividadas. O ranking dos principais tipos de dívidas continua o mesmo: cartão de crédito (73,6%), carnês (32,6%) e financiamento de carro (32,2%).

Os empresários é que demonstraram queda também em sua confiança. O índice geral da pesquisa que mede a confiança dos empresários do comércio (ICEC) caiu 2,5 pontos em junho, uma variação mensal de 2,1%. A condição atual da economia, do setor do comércio e das empresas, segundo os empresários não são animadoras, porém a expectativa é diferente. 39,5% acreditam que melhorará muito a economia, 47,6% que acham que o comércio melhorará muito e 57,9% que esperam que sua empresa melhore muito. Cerca de 70% disse que seu estoque está com o nível adequado.

Esses dados apontados nas pesquisas demonstram que junho foi um mês não tão bom para o comércio, conforme explica o presidente da Fecomércio Tocantins. “As pesquisas demonstraram que o consumo caiu e a capacidade das pessoas em pagar suas contas em dia também, como resultado temos uma queda na confiança do empresário. Mas por outro lado, os empresários tendem a ser otimistas, já que disseram que acreditam na melhoria da economia e do comércio. Julho é um mês de férias e possivelmente teremos realmente melhorias na economia, movimentada pelo turismo e bares”, disse. (Ascom Fecomércio)