Palmas

Foto: Antônio Gonçalves

Utilizando os ingredientes que mais agradam ao paladar dos palmenses, os chefs selecionados para a 8ª edição do Festival Gastronômico que iniciou nesta quarta-feira, 27, e segue com sua programação até o próximo dia 31, utilizaram a criatividade para transformar produtos do dia-a-dia dos palmenses em iguarias inusitadas, buscando atrair o gosto dos presentes no evento.  

A avaliação dos 59 pratos inscritos, sendo 39 salgados e 20 doces, é realizada por uma equipe mista composta por 26 profissionais entre júri técnico da área gastronômica e de instituições parceiras. No primeiro dia do Festival, uma equipe de jurados passou pelos estandes, e nesta quinta e sexta, 28 e 29, outra equipe faz a sua avaliação. Dessa forma, o prato é avaliado por dois jurados, que ao final é somada a pontuação e feita a média. O resultado e entrega da premiação acontece no domingo, 31.

Os jurados seguem dois critérios: o do prato, que avaliam a degustação, originalidade e criatividade e a apresentação, e do requisito estande, no qual avaliam a organização, a decoração, o atendimento, a higiene e a limpeza. Tanto os estandes, como as mesas e cadeiras foram cedidos pela Prefeitura de Palmas, competindo aos inscritos a decoração interna.

Para o chef e dono de restaurante na Capital, que está entre o corpo de jurados desta edição, Val Campos, a criatividade dos concorrentes é um dos pontos positivos do evento. Ele ressalta o fato dos presentes, na sua maioria, não serem profissionais da gastronomia e conseguirem extrair o melhor dos produtos regionais. O jurado ressalta os avanços adquiridos pelos expositores, pois tem acompanhado outras edições, e na última também como membro do júri.

Campos destaca que o apoio da Prefeitura com cursos de capacitação e aporte financeiro contribuiu bastante para melhorar, não apenas a estrutura e apresentação, mas também no atendimento ao público em geral. “É gratificante ver pessoas simples conseguindo apresentar pratos criativos e com uma boa apresentação e delicadeza, e todos aqui selecionados já podem se considerar vencedores”, enfatizou o jurado.  

Criatividade

Alguns dos concorrentes apostaram na criatividade para incluir produtos da base culinária dos palmenses a pratos conhecidos nacionalmente, o que parece ter agradado bastante os visitantes do Festival e os jurados.

Com este intuito de inovar com criatividade, a dona de casa Maria Aurea resolveu unir dois gostos dos palmenses, reformulando um prato que está presente na maioria das casas. A chef criou o prato que denominou de “Caranha-açu”, inspirado na tradicional “Maria Izabel”, que na sua composição original leva carne-de-sol e arroz branco. 

A participante recriou o prato, trocando a tradicional carne-de-sol, pelo peixe caranha, muito apreciado pelos palmenses, e em abundância nos mercados e feiras da cidade. “Na minha casa gostamos muito de “Maria Izabel”, mas queria inovar no prato, então resolvi trocar a carne por peixe, testei com a minha família, e parece que deu certo, pois a procura está sendo boa”, disse animada a concorrente.

Na categoria “Doce”, a chef Simone Gondim resolveu aguçar o paladar dos presentes, e também a curiosidade, trazendo um quitute que pelo seu nome lembra um prato que geralmente é salgado, a empada, mas que na sua receita é um doce de apresentação. A concorrente resolveu trazer um prato típico de sua família com um recheio de uma fruta queridinha dos palmenses que é o cupuaçu, fechando a guloseima com brigadeiro, mesclada com laminas de amêndoas.

“Esta receita sempre foi muito apreciada pela minha família, e pensando em acrescentar um ingrediente apreciado na região, adicionei a geleia de cupuaçu que tem um toque levemente azedinho, fazendo um contraste muito bom para a sobremesa”, ressaltou Simone. (Secom Palmas)