Campo

Foto: Divulgação

De 2009 para 2013, o Tocantins registrou uma redução de 67,56% na incidência de focos de raiva em herbívoros. Segundo o responsável pelo Programa Estadual de Controle da Raiva dos Herbívoros, José Emerson Cavalcante, estes números positivos estão aliados ao fortalecimento das ações desenvolvidas pelo governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec).

“O controle de raiva tem acontecido principalmente pela vacinação dos herbívoros, do monitoramento dos abrigos do principal transmissor, morcegos hematófagos, o cadastramento de novos abrigos e atividades de educação sanitária, que é levar o conhecimento para todos os produtores, com palestras e dias de campo”, explicou.

Os dados mostram que em 2009 foram 37 focos e em 2013 foram 12 casos, apontando assim uma redução significativa no número de casos. Até agora, em 2014 foram identificados oito focos de raivas no Estado. Já o número de morcegos hematófagos capturados pelo programa aumentou de 490 em 2012 para 521 em 2013.

Ações

Aliada à queda no número de propriedades com registro de casos de raiva, houve um aumento no número de propriedades atendidas pelas ações da Adapec no controle e monitoramento dos morcegos hematófagos. Em 2013, foram atendidas 92  propriedades, enquanto que em 2012 havia sido 83. Este ano, as equipes da Agência já visitaram os municípios de Formoso do Araguaia, Dueré, Gurupi, Bom Jesus do Tocantins, Itacajá, Pedro Afonso, Santa Maria, Guaraí, Natividade, Brejinho de Nazaré e Ponte Alta.

No mês de setembro as equipes serão direcionadas para Palmas, Rio Sono, Tocantínia, Miranorte, São Salvador do Tocantins, Palmeirópolis, Paranã, Rio da Conceição, Novo Jardim e Aurora. “Intensificamos as ações principalmente nos municípios, onde foram identificados focos. Trabalhamos nas propriedades que identificamos um foco e nas que ficam em um raio de até 12 km”, apontou.

Sintomas

Nos animais de criação (herbívoros domésticos) os principais sintomas são: isolamento, apatia, salivação intensa, dilatação da pupila, dificuldade para urinar e defecar, engasgos, andar cambaleante que progride à paralisia dos membros posteriores, movimentos de pedalagem, sem conseguir se levantar, contrações da musculatura do pescoço e morte.

Cuidados

O produtor que identificar um animal com sintomas da raiva ou que tenha dúvidas sobre o assunto pode entrar em contato com a Adapec em um dos escritórios localizados nos 139 municípios do Estado. Nas áreas onde é identificada a doença também são intensificadas as ações de identificação de abrigos do morcego hematófago para o controle populacional.

Por se tratar de uma zoonose, a raiva é uma doença dos animais que também atinge o ser humano. Em casos de acidentes com animais com sintomas da doença, ou com qualquer espécie de morcegos, a pessoa deve procurar imediatamente o serviço de saúde do seu município ou o escritório da Adapec. A vacinação, mesmo não sendo obrigatória, é a principal forma de controle da doença. (ATN)