Campo

Foto: Ascom Seagro

Cerca de 13 milhões de hectares de florestas tropicais são desmatados todos os anos, segundo a FAO (Food and Agriculture Organization) das Nações Unidas. Por isso, preservar florestas e reduzir as taxas de emissões de gases do efeito estufa, tem o potencial de gerar impactos positivos sobre a biodiversidade e sobre a conservação de recursos hídricos e, claro, sobre o clima. Por esta razão, a Secretaria da Agricultura e Pecuária (Seagro) sediará o 2º Workshop de Discussão de REDD, realizado pelo Instituto Ecológica e com apoio da Força Tarefa dos Governadores para o Clima e Florestas (GCF Task force). O evento será realizado nesta quinta- feira, dia 04, no auditório da Seagro, a partir das 14h.

O conceito de Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD) parte da ideia de incluir na contabilidade das emissões de gases de efeito estufa aquelas que são evitadas pela redução do desmatamento e a degradação florestal. “Embora a queima de combustíveis fósseis seja a principal responsável pelas emissões de gases- estufa, a forma mais rápida e barata de combater a mudança climática é deter o desmatamento de florestas” explica a coordenadora de projetos da Seagro, Eliana Pareja.

Ainda de acordo com Eliana, o REDD é um mecanismo que compensa financeiramente as propriedades que possuem área de conservação ambiental para proporcionar o desenvolvimento sustentável, mas com baixas emissões de carbono e redução de desmatamento e uso da terra. “As propriedades não precisam passar por grandes transformações, para desenvolver um projeto de REDD, basta ter áreas de vegetação nativa conservada”, explica a coordenadora.

Durante o encontro serão discutidas questões como o panorama do Projeto GCF no Brasil e no Mundo, com o delegado do GCF no Brasil, Pedro Gil; e o mercado para REDD, com o mestre em Mudança de Clima Marcelo Haddad. Também será realizado cadastro de propriedades com afinidade de projetos de REDD.

Tocantins

No Estado, o programa de REDD já está em fase de formatação e análise. “O Tocantins tem grande vocação para projetos de REDD devido a grande quantidade de terras que ainda não foram desmatadas. Aqui podemos desenvolver projetos ligados à criação de gado de corte. Podemos manter as nossas vegetações e ao mesmo tempo intensificar a pecuária de corte”, finaliza Eliana. 

GCF

O GCF – Força Tarefa dos Governadores para Clima e Florestas foi lançado em 2008 pelo governador da Califórnia e mais oito governadores interessados em criar políticas e programas que apontem caminhos reais para o desenvolvimento rural que preserve a floresta, por meio das políticas de redução de emissões por desmatamento e degradação florestal, manejo florestal sustentável e conservação de estoques de carbono (REDD). Atualmente o Grupo congrega 17 estados e províncias de seis nações: Brasil, Indonésia, Peru, México, Estados Unidos, Nigéria e Espanha. (Ascom/Seagro)