Saúde

Foto: Divulgação

Com o início do período chuvoso, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesau) recomenda aos 139 municípios tocantinenses reforço às ações de prevenção e combate ao mosquito Aedes Aegypti, vetor que transmite doenças como Dengue e também a febre do Chikungunya, uma nova doença no Brasil que já tem confirmados casos no Amapá (04 casos) e na Bahia (14) e mais de 300 casos estão sob investigação nestes dois estados até o momento.

Segundo relatório de monitoramento da Área Técnica da Dengue e Febre Amarela da Sesau foram notificados em todo o Estado 8.703 casos suspeitos de Dengue, de janeiro a 22 de setembro deste ano. Deste total, os cinco municípios com maior número de notificações são Palmas (3.523), Araguaína (1.273), Porto Nacional (354), Miracema do Tocantins (345) e Araguaçu (315).

De acordo com a supervisora da Área Técnica, Christiane Bueno, os casos notificados de Dengue até o momento são bem inferiores aos registrados no mesmo período de 2013, quando foram realizadas 18.486 notificações. "Isto representa redução de 53% dos casos suspeitos do ano passado para cá. No entanto, é válida a recomendação para que moradores e gestores municipais estejam cientes do risco de mais focos do mosquito surgirem com o retorno do período de chuvas", alertou.

Neste contexto, é fundamental a intensificação das ações de controle do vetor através da eliminação de potenciais focos e do tratamento de reservatórios em parceria com a população.

Mosquito

A coordenadora de Vigilância Vetorial e Zoonoses, Perciliana Bezerra, alerta ainda que acúmulo de água em recipientes, lixo mal acondicionado ou bebedouros de animais domésticos, por exemplo, permite a reprodução do mosquito Aedes aegypti em até sete dias. Segundo ela, a água parada precisa ser evitada também como medida preventiva à febre do Chikungunya, uma doença que ainda não havia sido registrada no Brasil e que tem como vetor tanto o mosquito Aedes aegypti como o Aedes albopictus. Segundo ela, já foram confirmados casos dessa doença no Amapá (04 casos) e na Bahia (14) e mais de 300 casos estão sob investigação nestes dois estados até o momento.

A febre do Chikungunya tem sintomas semelhantes aos sintomas da dengue. "Os sintomas da febre do Chikungunya são febre alta, dor de cabeça, dores musculares e dores articulares (intensa) que podem durar meses ou anos", explicou Christiane.

Por esta razão e importante manter os municípios em alertar, para que os profissionais de saúde e a população fiquem atentos a casos suspeitos dessa nova doença, para notificação rápida do caso.

Classificação de caso suspeito da Febre do Chikungunya: paciente com febre de início súbito maior que 38,5°C e artralgia ou artrite intensa, não explicada por outras condições, sendo residente ou visitado áreas endêmicas ou epidêmicas até 14 dias antes do início dos sintomas. (Ascom Sesau)

Por: Redação

Tags: Christiane Bueno, Perciliana Bezerra