Esporte

Foto: Paula Bittencourt

Os alunos paratletas da natação que representam o Tocantins nas Paralimpíadas Escolares, realizadas em São Paulo, tiveram a chance de se encontrar nesta terça-feira, 25, com o heptacampeão paralímpico André Brasil. Em bate papo descontraído, os estudantes conheceram um pouco mais sobre a história do paratleta que descobriu na natação uma maneira de superar a deficiência física.

Acompanhados dos técnicos Cilsa de Queiroz e Rodrigo Silvaneira, os estudantes Lucas da Silva e Marcos Vinícius Ferreira da Silva se identificaram com a história do campeão paralímpico. André teve paralisia infantil e a natação foi a maneira de superar as dificuldades físicas. “O principal de tudo é querer. Deste querer maior vem o sonho se tornar realidade. Na vida é assim. Existem várias portas, que são os desafios. Cabe a você a coragem de abrir estas portas”, frisou.

Ainda segundo André Brasil, o mais importante no esporte não é a vitória em si. Para ele, a superação é o melhor desafio. “Eu digo que existem três pontos: Eu posso! Eu quero! Eu vou conseguir! Você pode ser o último, mas dê o melhor de si, saia da piscina com orgulho”, afirmou.

Inspiração

Lucas tem dificuldades de locomoção e vai competir nos 50 e 100 metros. Apesar da deficiência, o estudante que só começou a andar aos sete anos, após oito cirurgias, disse ter ficado ainda mais motivado para as provas com a experiência do heptacampeão. “Como ele disse o importante é querer. Não importa a dificuldade, a gente tem que lutar”, afirmou.

Marcos Vinícius também busca na natação a superação. O paratleta ficou feliz em compartilhar histórias com um nadador experiente. “Foi muito bom. O cara entende o atleta e serve de inspiração”, disse o estudante, que vai competir nos 50 e 100 metros. (Ascom Seduc)