Cursos & Concursos

Foto: Divulgação

A Secretaria de Desenvolvimento Rural de Palmas (Seder) promove nesta quinta-feira, 4, no auditório do órgão municipal, localizado à 1.212 Sul, Av. LO-27, esquina com NS-10, curso de olericultura básica. O treinamento tem como foco uma melhor organização do setor e uma orientação aos horticultores sobre as formas de manejo correto, fazendo uso adequado dos equipamentos para uma produção economicamente viável.

Durante o curso vão ser apresentados vários assuntos, tais como: o controle biológico de pragas e doenças, controle alternativo, correção de solo e nutrição de olerícolas, uso de equipamentos de proteção individual e segurança nos métodos de aplicação. Os participantes terão também aula prática de produção de biofertilizante, calda sufatica, calda bordalesa e composto orgânico.

De acordo com o secretario da Seder, Roberto Sahium, a característica mais marcante da olericultura é o fato de ser uma atividade agroeconômica altamente intensiva em seus mais variados aspectos, em contraste com outras atividades agrícolas extensivas. Sua exploração econômica pode exigir alto investimento na área trabalhada, em termos físicos e econômicos.

Em contrapartida, possibilita a obtenção de elevada produção física e de alto rendimento bruto e líquido por espaço cultivado e ou por hectare/ano. “Outras características importantes nos empreendimentos hortícolas são a intensa utilização de tecnologias modernas, em constante mudança, e o reduzido tamanho da área ocupada, porém, intensivamente utilizada, tanto no espaço quanto no tempo”, frisou  Sahium. 

Ainda segundo o Secretário há de se considerar a olericultura como sendo uma atividade econômica de alto risco para o produtor rural, em virtude da maior ocorrência de problemas fitossanitários, maior sensibilidade às condições climáticas e instabilidade de preços praticados na comercialização. “Por isso deve haver a necessidade de organização entre os próprios horticultores para que não haja concorrência entre  eles, procurar cultivar os produtos certos de acordo com a demanda de mercado’, enfatizou o Secretário.

Qualidade      

O sistema de exploração de olerícolas é extremamente especializado e exigente em qualidade, principalmente quanto ao aspecto comercial, e vem se tornando dominante no Brasil. No entanto, os produtores estão reduzindo o número de culturas trabalhadas e intensificando os cultivos durante todo o ano, em sistema de plantio sequencial, o que pode ocasionar o agravamento de problemas fitossanitários.

Constata-se que a diversidade climática brasileira pode interferir no cultivo de algumas variedades, permitindo o cultivo de cerca de sessenta espécies de hortaliças, a maioria de forma competitiva e com possibilidades de exportação. (Secom Palmas)