Estado

Foto: Divulgação O Sintet acusa o governo de dar o segundo calote nos aposentados do Igeprev O Sintet acusa o governo de dar o segundo calote nos aposentados do Igeprev

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Tocantins (Sintet), acusa o governo de dar o segundo calote nos aposentados do Igeprev em 2014. Segundo o Sindicato, aqueles professores e trabalhadores da educação que se aposentaram neste ano, em sua grande maioria nos meses de agosto, setembro, outubro e novembro receberam do 13º salário apenas a parte proporcional de obrigação do Igeprev. O restante, a maior parte do pagamento, a Secretaria Estadual de Administração (Secad) não creditou nas contas dos aposentados. "Segundo a Seduc, esse pagamento viria junto com o acerto, o que é um despropósito, já que os servidores tinham feito planos com o décimo. Além do mais, o tal acerto não tem data para pagamento", segundo o Sintet. 

“A outra parte proporcional do 13º salário é obrigação da Secad/Seduc”, informa o assessor jurídico do Sintet, Silvanio Mota.

Desde Maio de 2014 também estão suspensas os pagamentos dos abonos de permanência dos servidores aposentados da Educação. Segundo a Seduc, o gasto com pagamento da folha já atingiu o limite máximo estabelecido pela LRF – Lei de Responsabilidade Fiscal. “Esse governo mais uma vez demonstra seu profundo rancor e desrespeito para com a classe dos trabalhadores da educação, em especial os aposentados, que doaram suas vidas pela Educação, é muito desrespeito”, desabafa o secretário geral do Sintet, Carlos de Lima Furtado.

O Sintet já protocolou ofício ao secretário da Administração na tarde desta quarta-feira, 17, cobrando explicações, como já fizera com o caso do não pagamento dos abonos de permanência. O sindicato também estuda as medidas judiciais cabíveis. (Da redação com informações Ascom Sintet)