Estado

Foto: Divulgação

A senadora Katia Abreu (PMDB) tomou posse nesta segunda-feira, 5, no ministério da Agricultura em cerimônia que foi muito prestigiada, porém, que não contou com a presença de muitos parlamentares do Tocantins. Segundo o Conexão Tocantins apurou, da bancada federal do Estado, por exemplo, esteve apenas o deputado federal Osvaldo Reis (PMDB) que encerra o mandato no final deste mês.

Dos novos eleitos, Josi Nunes, Carlos Gaguim e a primeira dama e deputada federal Dulce Miranda também não compareceram. Além de Reis esteve presente o deputado estadual Paulo Mourão. “Eu só vi eu e o Paulo Mourão, acho que os líderes políticos do Estado deveriam ter feito um sacrifício e ido prestigiar a primeira ministra do Estado. Essa falta de líderes políticos do Estado realmente é lamentável”, disse ao Conexão Tocantins.

O deputado Gaguim afirmou ao Conexão Tocantins que não foi porque não recebeu nenhum convite. " Não fui convidado", frisou. Dulce informou via assessoria  de imprensa que não pode comparecer porque já tinha compromissos agendados no Estado.

Reis, que em fevereiro assume a Secretaria de Representação do Estado, afirmou ainda que vários ministros e líderes de outros estados prestigiaram Katia. Segundo ele, o Estado deveria ter encaminhado um representante. “Estou aqui há 24 anos vendo ministros de outros estados e do Tocantins não. A Katia orgulha o Tocantins e está numa área muito importante afinal ela é PHD em agricultura”, disse.

A imprensa nacional divulgou que a bancada do PMDB no Senado não foi à posse sendo que dos 19 integrantes do partido na Casa, apenas três estiveram no encontro: o senador licenciado Eduardo Braga (PMDB-AM), novo titular do Ministério de Minas e Energia, e um dos vice-presidentes do PMDB, senador Valdir Raupp (RO). Ao todo, 15 ministros participaram do ato, realizado na calçada do Ministério da Agricultura, na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Questão política         

O deputado afirmou que a senadora e o atual governo estão um pouco distantes neste momento inicial de gestão mas que é apenas em razão deste momento de transição. “Isso vai se recompor, nós que estivemos juntos na caminhada continuamos juntos ainda mais que o Marcelo tem simplicidade e sabedoria para lidar com isso. Tudo isso é coisa passageira e são pequenas diferenças que serão reparadas com certeza. Temos que entender que Marcelo pegou o Estado numa situação difícil”, disse.

Antes da posse chegaram a circular rumores de possível afastamento entre Katia e Marcelo em razão de indicações para novo governo porém os dois em nota negaram veemente tais informações e a senadora reafirmou seu apoio á gestão de Miranda. Já o PSD, partido de seu filho Irajá Abreu, encaminhou nota também onde afirma que mesmo sem participar diretamente da gestão (através de indicações) apoia o governo.

Durante sua fala de posse Katia falou em diálogo com movimentos sociais e pequenos, médios e grandes produtores mas ponderou:  “Estamos prontos para trabalhar e ir para o bom combate. Nenhuma luta, nenhuma guerra, que venha a trazer conflitos que possam puxar o país para trás terá minha participação. Não aceitarei nenhum tipo de provocação. Quero conversar com todas as pessoas com espírito público porque fui convocada pela presidente Dilma para servir o país”, disse Kátia. “Vou a todas as boas lutas para que possamos levar o Brasil adiante, todas as boas lutas e os bons combates”, disse.