Saúde

Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira, 15, o Ministério da Saúde anunciou uma nova versão do Programa Mais Médicos, que agora vai incorporar o Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab). O edital relaciona também os municípios que poderão reivindicar a inclusão no programa para receber os médicos. 

O documento será publicado nesta sexta-feira (16), no Diário Oficial da União. Após a publicação os gestores dos municípios e os médicos poderão efetuar a inscrição no sistema até os dias 28 e 29 de janeiro, respectivamente. 

Os médicos brasileiros continuam tendo prioridade na seleção. Só que agora, ao invés de uma, eles terão três oportunidades para escolher o município em que irão atuar. Na inscrição, cada profissional definirá até quatro cidades de diferentes perfis, conforme a sua prioridade. Os candidatos concorrem somente com aqueles que optarem pelos mesmos municípios e, quem não conseguir alocação, terá acesso às vagas remanescentes. 

Os médicos brasileiros depois serão chamados inscrições individuais de médicos formados fora do país, e por último os médicos cubanos, da cooperação com a Organização Mundial da Saúde. 

Nesta versão, programa vai priorizar municípios brasileiros com 20% da população em extrema pobreza, além de cidades com índice de desenvolvimento humano baixo.

O profissional vai poder escolher se fica três anos no local determinado pelo governo, como acontece no Mais Médicos, ou se fica um ano e ganha 10% de bônus na nota de uma eventual prova de residência, características do Provab.

A bolsa é no mesmo valor (R$ 10 mil) e ao final dos dois programas os médicos são considerados especialistas em saúde da família. Os selecionados devem começar a trabalhar no dia 3 de março. 

Mais médicos  

Foi Lançado em julho de 2013 pela presidenta Dilma Rousseff, o Programa Mais Médicos faz parte de um amplo pacto de melhoria do atendimento aos usuários do SUS, com o objetivo de aperfeiçoar a formação de médicos na Atenção Básica, ampliar o número de médicos nas regiões carentes do país e acelerar os investimentos em infraestrutura nos hospitais e unidades de saúde.

Só no Tocantins são 134 profissionais do programa Mais Médicos que atuam nas unidades de saúde. Destes 115 médicos são cubanos que estão distribuídos 108  nos municípios e 07  nos Distritos Sanitários Especiais  Indígenas –DSEI. (Ascom Sesau)