Saúde

Foto: Heitor Iglesias

Para avaliar e, se necessário, adequar a qualidade dos exames de citologias, como o papanicolau, exame de prevenção de câncer do colo do útero ofertado as mulheres no Sistema Único de Saúde (SUS), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) criou o Laboratório de Monitoramento Externo de Qualidade (Lab-MEQ), em parceria com a Universidade Federal de Tocantins (UFT). O laboratório, localizado no Campus de Palmas, funciona com estrutura física e profissionais citologistas.

O exame citológico corresponde a remoção de células do colo do útero da mulher. Essas células são transportadas por uma lâmina e a partir daí o profissional irá utilizar um microscópio para analisar as alterações moforlógicas (se há lesão pré-maligna ou maligna instalada naquela paciente). Ou seja, no Lab-MEQ é realizada uma segunda leitura do exame para verificar se corresponde ao diagnóstico oferecido pelo laboratório prestador de serviço do SUS. Esses resultados são apresentados aos laboratórios e as Secretarias Municipais de Saúde, que são responsáveis pelo credenciamento dos laboratórios.

De acordo com a biomédica e citologista da Sesau, Jucimara Dantas Galvão, o serviço vem sendo implementado aos poucos, com o programa piloto. “Temos a previsão de começar efetivamente neste mês, quando iremos atuar na avaliação de cada laboratório, verificando toda a demanda e definindo critérios para convocar os laboratórios mensalmente. Mas já temos alguns prestadores de serviço que já foram avaliados e que já tiveram retorno sobre a qualidade dos exames”, explicou.

Jucimara ressaltou ainda que além de avaliar os exames, a qualidade e classificação dos laboratórios, o Lab-MEQ verifica como está o funcionamento de toda a rede de atenção a saúde da mulher.

Visitas de adequações

Além de verificar e monitorar a qualidade, a equipe do Lab-MEQ visita laboratórios e sugere adequações. Caso o laboratório não siga as orientações de adequação do padrão de qualidade de exames a oferecer pelo SUS, a secretaria que o credenciou é comunicada.

Para a coordenadora de Saúde da Mulher de Gurupi, Vanilza Beckman, o serviço do Lab-MEQ tem grande importância para qualificar os exames de citologia. “A mulher pode contar com realização de exames nas unidades básicas de saúde para prevenir o câncer e, com o controle feito pelo laboratório, a paciente pode sair da unidade tranquila, pois vai ter um exame de qualidade”, destacou.

A atuação do Lab-MEQ segue a Portaria nº 2.046, de 12 de setembro de 2014, do Ministério da Saúde, que trata da avaliação de laboratórios de exames citopatológicos do colo do útero.

Casos novos

Conforme estimativas do Instituto Nacional do Câncer José Gomes de Alencar (Inca) só no Tocantins, em 2014, foram registrados 180 casos novos de câncer de colo do útero. (Ascom/Sesau)