Polí­cia

Foto: Divulgação

Em greve geral desde o dia 25 de fevereiro, os policiais civis realizam nesta quarta-feira, 11, a partir das 8 horas, um café da manhã na frente da Garagem Central do governo do Estado com posterior mobilização na Ponte Fernando Henrique Cardoso, que liga Palmas a Paraíso. A greve chega na segunda semana hoje.

Com a mobilização, os policiais querem chamar a atenção do governo do Estado para que exista uma negociação com a categoria.

O Sindicato dos Policiais Civis já foi citado da decisão do Tribunal de Justiça que pediu que a categoria retorne aos postos de trabalho porém ainda assim mantém a greve e vai recorrer da decisão. A decisão autoriza que os pontos dos servidores grevistas comecem a ser cortados.

Os policiais protestam contra o decreto do governador Marcelo Miranda que suspendeu os efeitos financeiros da lei 2.851/2014. A lei faz o alinhamento da carreira da Polícia Civil, deixando apenas um nível na corporação.

O Sindicato repudiou a ausência de representantes do governo na Assembleia Legislativa realizada na tarde desta terça-feira, 10. “O governo diz estar aberto ao diálogo, mas o governador não mandou sequer um secretária para audiência pública realizada aqui na Assembleia. O que governo diz para a imprensa não corresponde a verdade”, destacou o presidente do Sinpol (Sindicato dos Policiais Civis do Tocantins), Moisemar Marinho.

Mais de 1200 policiais estão paralisados e a rotina dos presídios tem sido prejudicada em razão da greve. A Polícia Militar informou ao Conexão Tocantins que está se desdobrando para atuar quando necessário no sistema prisional.