Estado

Agentes de socialização da Umanizare, empresa responsável pela manutenção do sistema prisional, entraram em contato com o Conexão Tocantins neste sábado, 14, para informar que estão insatisfeitos com a empresa e por isso acertaram deflagrar uma paralisação caso a empresa não entre em negociação com o sindicato da categoria. “Queremos parar tudo desde alimentação, banho de sol até o atendimento médico. O que queremos é que a empresa sente com o sindicato  dos vigilantes”, informou um dos líderes do movimento.

Alguns agentes não reconhecem o Sindicato de Serviços e Aseios como representante da categoria e aderiram ao Sindicato dos Vigilantes. “Nós agentes da Umaninzare é que fazemos todo o trabalho operacional dentro dos presídios de Palmas e Araguaína e uma possível paralisação nossa a cadeia quebra”, chegou a dizer o representante

Os agentes argumentam ainda que a empresa deu um aumento de apenas 7.9%, o que corresponde a apenas R$ 92 reais e os agentes não aceitam esse valor. “É baixo demais esse valor além disso a Umanizare não paga os feriados 100% e não recebemos insalubridade”, acusam. Os agentes que fazem o transporte dos presos fora da unidade prisional também estariam trabalhando sem coletes à prova de balas, segundo denunciam, colocando em risco a vida dos trabalhadores que correm risco de serem alvejados.

A insatisfação dos agentes pode complicar ainda mais o quadro que se encontra nas unidades prisionais com a greve da Polícia Civil que está de braços cruzados há 16 dias.

O Conexão Tocantins ligou por várias vezes para a empresa para ouvi-la sobre a reivindicação dos servidores porém não conseguiu falar com nenhum representante.

Por: Redação

Tags: Umanizare