Polí­tica

Foto: Divulgação

Os pronunciamentos na tribuna e as discussões parlamentares na sessão desta terça-feira, 17, foram em torno da Moção de apoio apresentada pedindo arquivamento  de uma sindicância contra um militar que criticou o governador Marcelo Miranda durante audiência da Comissão de Segurança Pública na Casa de leis semana passada. Os deputados comentaram ainda as manifestações que aconteceram  no último domingo, 15.

Foi sugerido que o militar faça uma retratação às críticas que fez o governador. A bancada do governo promete derrubar o requerimento nesta quarta-feira, 17, quanto o pedido entrará em votação. 

A deputada Luana Ribeiro (PR), uma das oposicionistas ferrenhas à atual administração, saiu em defesa do militar. “Acho muito grave nobres pares tolir a liberdade de expressão de um convidado dessa Casa”, disse. Luana Ribeiro disse não entender a postura da bancada do governo. A parlamentar falou ainda direcionado ao deputado líder do governo, Paulo Mourão. “Peço que Vossa Excelência reflita e compreenda que aquele militar esteve aqui para um debate saudável”, disse.

Também na tribuna o deputado do PT, Paulo Mourão falou da criação da Agência de Desenvolvimento através do governo federal e da senadora Katia Abreu para fazer alusão á necessidade de promover o desenvolvimento rural e econômico do Estado. Ele falou ainda das manifestações de domingo, 15.  “Umas pessoas combatendo a corrupção e uma minoria ainda deturpando os movimentos e pedindo impeachment da presidente Dilma e a volta do regime militar. Isso é a democracia. Me somo a milhares de brasileiros pedindo transparência. O Tocantins ainda figura nos últimos estados em termo de transparência, é uma missão dura que o governo tem. Primeiro trazer esse Estado para o eixo de desenvolvimento e segundo dar transparência a todas as suas ações”, disse.

Mourão disse que não cabe à Assembleia discutir possível punição ao militar que criticou o governador. “Se ele vem aqui armado e vestido não está vindo o cidadão e sim a Polícia Militar. Não posso deixar de ter coragem e decência de pedir respeito ao governador, Se essa casa faz uma discussão dessa ela está se diminuindo, se apequenando”, disse.

Olyntho explica

O autor do requerimento, Olyntho Neto, que está próximo à base do governo explicou sua intenção com o requerimento. “O requerimento não quer afrontar o governo ou  o Comando e sim uma moção de apoio e solicitação e apelo ao governador que tem bom coração e é democrático para que ele possa olhar para a Polícia Militar carrega a segurança pública nas costas”, esclareceu.

Ele falou ainda que participou das manifestações de domingo na cidade de Araguaína. “O brasileiro não vai aceitar as coisas como estão, não aceitamos mais corrupção, o brasileiro está envergonhado de aparecer nos jornais apenas de maneira negativa”, disse.

Também sobre as manifestações o deputado José Bonifácio disse que a oposição quer forçar um terceiro turno. “Devemos olhar nós políticos com cuidado porque não é só manifestação que pode significar um terceiro turno. Não podemos tentar forçar um terceiro turno que a sociedade não quis”, disse o parlamentar além de acrescentar que não foi provado nada contra  a presidente Dilma com relação às investigações na Petrobras.