Estado

Foto: Divulgação

Despreparo do condutor, embriaguez, velocidade, uso irregular ou ausência do cinto de segurança ou capacete por parte do motociclista estão entre as principais causas de acidentes de trânsito. Segundo os dados do Hospital Geral de Palmas (HGP), o setor de ortopedia atende uma média de 300 pessoas por mês, sendo que um número significativo dos pacientes são vítimas de acidente de trânsito.

De acordo com o gerente de fiscalização e segurança do Departamento Estadual de Trânsito do Tocantins (Detran-TO), Geraldo Magela, a combinação velocidade e embriaguez é a principal causa de acidentes no trânsito. “No aspecto do comportamento do condutor, temos a questão do uso do álcool. O condutor não está tendo responsabilidade na hora de conduzir o veículo”, alertou.

O gerente de fiscalização destacou que nos períodos de feriado, o número de acidentes é mais elevado e passou orientações básicas para os condutores. “Antes de fazer uma viagem é importante fazer um planejamento, buscar informações da via pela qual irá trafegar e verificar as condições do veículo. Sem contar que o cuidado precisa se intensificar com as condições adversas, como o período de chuvas”, afirmou.

Quando o assunto é infrações de trânsito no Estado, aparecem ainda atitudes causadoras de acidentes e que deixam mais vulneráveis as vidas de condutores e passageiros, como dirigir com velocidade acima da permitida, dirigir falando ao celular, não usar o cinto de segurança e transitar pela contramão.

As vítimas de acidentes de trânsito sofrem, principalmente, fraturas nos membros inferiores, por isso, os números de atendimentos no HGP, nos setores da ortopedia, cirurgia geral, e em alguns casos, os da neurocirurgia têm se mostrado bem significativos.

Cuidados

A direção defensiva é apresentada como a principal forma de se evitar acidentes. Baseado na noção de que em todo acidente sempre está presente uma falha humana relacionada ou a negligência, ou a imprudência, ou a imperícia, ou seja, falta de técnica necessária para conduzir um veículo, a direção defensiva pretende que o motorista que a emprega seja um elemento ativo na alteração ou na eliminação dos fatores que possam causar acidentes.

Ainda de acordo com Geraldo Magela, o condutor de um veículo deve estar atento às normas previstas por lei.  “Crianças com menos de sete anos não podem ser carregadas na garupa de motocicletas, e o uso do bebê conforto também é uma obrigatoriedade na hora de carregar uma criança”, explicou.

Por: Redação

Tags: Acidente de Trânsito, Detran