Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado estadual do PSDB, Olyntho Neto, apresentou na Assembleia Legislativa do Tocantins nesta quarta-feira, 8, um pedido de informações ao prefeito de Palmas, Carlos Amastha (PP), com relação à cobrança do serviço de guincho em Palmas. Ele contou que teve o carro guinchado e que ao procurar a Prefeitura de Palmas para pagar o valor do guincho foi informado que o valor teria que ser pago em espécie e numa lanchonete em frente ao Paço Municipal na Avenida JK. “Paguei R$ 130 reais em espécie na lanchonete”, confirmou o deputado.

Olynto ainda disse que tentou entrar em contato com o prefeito mas como não teve retorno apresentou o requerimento solicitando informações sobre a licitação e concessão dos serviços de guincho em Palmas. Segundo o deputado qualquer taxa de serviço municipal deve ser paga por meio de uma guia da Prefeitura e não em outro estabelecimento.

O parlamentar chegou a dizer ainda que recebeu uma denúncia de irregularidade no pagamento dos serviços e pediu no requerimento que a Prefeitura de Palmas passe o processo de licitação bem como apresente um levantamento no número de carros que pagam o serviço por dia. “Esse dinheiro tem que ser revertido para a população", disse.

Secretaria 

A Secretaria Municipal de Acessibilidade, Mobilidade, Trânsito e Transporte esclareceu ao Conexão Tocantins que o serviço de guincho é executado por empresas privadas, como acontece em todo o Brasil, sendo que em Palmas todas as empresas do segmento podem participar do serviço de guincho em forma de rodízio.

Ainda de acordo com informações repassadas pela Secretaria, o pagamento do serviço, por ser particular, é feito diretamente à empresa prestadora. A Secretaria informou ainda que está finalizando um Projeto de Lei a ser enviado à Câmara Municipal, visando regulamentar o serviço de guincho e guarda de veículos removidos por infração às normas de trânsito, abandono de veículos na via, e outras situações previstas na Lei Orgânica Municipal.