Polí­tica

Foto: Divulgação

A segurança da cidade de Araguaína, maior município do Estado, foi alvo de discussão na sessão da Assembleia Legislativa do Tocantins. O deputado Jorge Frederico (SD) encaminhou uma solicitação ao Comando da Polícia Militar pedindo que sejam feitas barreiras policiais em todas as entradas e saídas da cidade. “A capital econômica do Tocantins mais uma vez passa por momento de crise. Hoje em Araguaína são fatos de terrorismo, a população hoje fica presa. O bandido está solto e o cidadão fica preso. Hoje o cidadão de Araguaína tem medo de sair nas ruas”, disse.

Ele relatou a morte de um taxista na semana passada o que deixou a população ainda mais preocupada. “Que retire os policiais dos órgãos se necessário e que façam barreiras nas entradas e saídas de Araguaína. Conclamo ao comando que façamos isso”, disse. O deputado saiu na defesa do desenvolvimento da cidade e chegou a dizer que os empresários vivem com medo da violência na cidade.

O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB) saiu em defesa do ex-comandante Geral da PM na cidade, Julio Manoel Silva Neto e chegou a dizer que chegou a pensar em apresentar o requerimento pedindo que o governo. “Nunca vi um comandante da polícia militar tão querido pela população, tão misturado com a população de Araguaína”, disse. Ele afirmou que o ex-comandante chegou a se pintar de verde e amarelo das manifestações do ano passado.

A deputada Valderez Castelo Branco (PP) pediu a reativação dos portais de entrada e saída da cidade integradas com o Comando da PM. O projeto foi da primeira gestão da deputada quando foi prefeita da cidade. “Que juntos façamos esse pedido para que tenhamos a cidade controlada”, disse aos demais membros da bancada de Araguaína.

Ricardo Ayres (PSB) fez uma reflexão sobre a falta de segurança e comentou sobre seu posicionamento contra a redução de maioridade penal. “ O que precisamos é ter a nossa polícia bem aparelhada e bem preparada para enfrentar a criminalidade”, disse.

O deputado também da cidade, Elenil da Penha falou do histórico de violência na cidade. “A história de Araguaína mostra o tanto alguns aproveitadores fazem da cidade um terreno que nós não queremos”, disse. Segundo ele, a polícia militar na cidade está trabalhando diuturnamente. "Os policiais estão trabalhando e muito, não vejo a solução em um homem apenas mas sim numa estratégia", disse. 

O parlamentar também da cidade, Olyntho Neto afirmou que nos últimos 10 dias a cidade teve mais de seis atentados. Ele defendeu uma discussão em conjunto para chegar ao entendimento do que pode ser feito com relação aos índices de violência na cidade.