Saúde

Foto: Maradona

Registros da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) mostram que 99.145 hipertensos recebem acompanhamento regular de um médico ou enfermeiro no Tocantins. Esse acompanhamento é oferecido por todas as Unidades de Saúde da Família (USF), e que ofertam um calendário específico de atendimento a esses pacientes. O objetivo é oferecer assistência e orientação contínua aos portadores da doença que é crônica e silenciosa. Segundo dados da Sesau, atualmente 106.372 hipertensos diagnosticados estão cadastrados.

Pesquisa recente realizada pelo Ministério da Saúde mostra que Palmas é a capital com menor percentual de prevalência de hipertensão no País. A Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel) 2014 ouviu 40.853 pessoas com 18 anos ou mais nas 26 capitais e no Distrito Federal. Segundo a pesquisa, 15% dos adultos de Palmas apresentam hipertensão arterial.

Os dados nacionais divulgados mostram ainda que a média nacional é de 25%, isto é, um quarto da população apresenta hipertensão arterial. Se comparando a população feminina (27%) e masculina (23%), em média, mais mulheres têm hipertensão que os homens.

Hipertensão arterial

A doença é um mal crônico e silencioso cuja ausência de sintomas pode retardar o controle inicial. Ela ocorre quando a pressão arterial está acima do limite considerado normal, isto é, quando a pressão arterial máxima (sistólica) está em 120 e a mínima (diastólica) em 80 milímetros de mercúrio.

A forma mais eficaz de diagnosticar o problema é realizando aferições periodicamente, como explica o gerente de Doenças Não Transmissíveis, Jader José Rosário da Silva. “Qualquer pessoa, independente da idade ou sexo, pode estar suscetível à doença, que pode ter origem hereditária ou mesmo por fatores ambientais, como dieta e hábitos de vida, por exemplo”, acrescenta o gerente.

Segundo Silva, sintomas como dores de cabeça, dores no peito ou tonturas, podem ser um indicativo de alerta e a orientação é que a pessoa procure um serviço de saúde em busca de uma avaliação.

Controle

Evitar o tabagismo, aderir a prática de atividade física regular e uma dieta com consumo moderado de sal são as principais recomendações dos especialistas. A orientação da responsável pela Área Técnica Estadual da Hipertensão, Josineide Reis, é procurar uma das USF para realizar uma consulta médica e solicitar a aferição da pressão periodicamente.

“É interessante anotar os valores sempre que a pressão for medida. Isso pode ajudar o médico e auxiliar na avaliação da eficácia do tratamento”, acrescenta.

Medicamento gratuito

Uma pessoa hipertensa pode obter a medicação de controle da hipertensão arterial gratuitamente na Farmácia Popular do Brasil e mesmo em farmácias comerciais que são conveniadas com o Governo Federal. Para isso basta apresentar o receituário médico do Sistema Único de Saúde (SUS), particular ou de convênios. Outra opção são as farmácias municipais que aceitam apenas receituário emitido por médicos dos serviços do SUS.

Em Palmas, a Farmácia Popular do Brasil fica localizada na Avenida JK, Quadra 106 Norte ACSV-NE 12 nº 16 e oferece atendimento especializado de farmacêuticos e atendentes capacitados. Com relação às farmácias conveniadas, a relação de estabelecimento por Estado pode ser consultada no endereço eletrônico: bit.ly/ministerioSaude.

Pesquisa Vigitel

A Vigitel 2014 aponta os seguintes percentuais de hipertensos: Palmas (15%), São Luís (17%), Boa Vista (18%), Belém (19%), Manaus (19%), Macapá (20%), Porto Velho (21%), Curitiba (23%), Teresina (23%), Aracaju (23%), Florianópolis (23%), Rio Branco (23%), Goiânia (24%), Fortaleza (24%), Belo Horizonte (24%), Distrito Federal (24%), Cuiabá (25%), Campo Grande (25%), São Paulo (25%), João Pessoa (26%), Salvador (26%), Natal (26%), Vitória (27%), Maceió (28%), Rio de Janeiro (28%), Recife (28%) e Porto Alegre (29%).