Campo

Foto: Divulgação

Para incentivar a comercialização e a diversificação dos produtos da agricultura familiar, o Governo do Estado, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), promoveu no sábado, 13, a I Feira da Agricultura Familiar, de Natividade. O evento teve a participação de 60 expositores que trouxeram frutas, hortaliças, legumes, doces, bolos, frango caipira e artesanato, dentre outros produtos.

O presidente do Ruraltins, Pedro Dias, prestigiou o encontro e durante seu pronunciamento destacou a importância da feira para a agricultura familiar. “A feira tem esse aspecto de mostrar não só a quantidade mais a diversidade e a qualidade dos produtos da agricultura familiar, promovendo o crescimento econômico dos agricultores e de suas famílias. Temos como meta melhorar ainda mais a qualidade dessa produção, agregando valor aos produtos, incentivando a implantação do Serviço de Inspeção Municipal (SIM) nos municípios. Queremos criar condições para que os produtores possam vender também aos programas institucionais como o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa de Nacional de Alimentação Escolar (Pnae)”, afirmou o presidente.

O gerente local do Ruraltins, Marcos Tadeu Borges de Oliveira, disse que é preciso investir na certificação dos produtos manipulados e processados da agricultura familiar, para que os produtores possam comercializar  livremente de forma legalizada, sem a figura do atravessador. “A extensão rural caminha ao lado do agricultor familiar para que ele se desenvolva, mas o poder público precisa fazer a sua parte. Precisamos acreditar e valorizar a agricultura familiar”, avaliou.

Para o agricultor Antonio Cardoso de Almeida, de Chapada da Natividade, participar da feira facilita a venda dos produtos e ajuda a manter contato direto com as pessoas que moram na cidade. “É interessante estar aqui e marcar espaço, pois é uma oportunidade de  comercializar meus produtos e obter renda extra, disse, lembrando que ainda vende na porta de sua  propriedade alimentos como banana, ovos, hortaliças, peixe, frango, queijo e mandioca.

Além da comercialização de produtos típicos da agricultura familiar, a Feira também contou com a apresentação de dança da Comunidade Quilombola Baião, do município de Almas.  

Segundo a coordenadora da comunidade, Eliene Fernandes, cerca de 20 famílias remanescentes de quilombos vivem na localidade, e apesar das dificuldades enfrentadas por causa da seca que castiga a região, principalmente nesta época do ano, é necessário manter viva as tradições para preservar a identidade das famílias. “Resgatar a nossa cultura e dar continuidade ao nosso trabalho é uma forma de manter as famílias na comunidade e incentivar a permanência dos jovens para que a nossa descendência continue”, pontuou a coordenadora.

Encontro tecnológico

Paralelo a realização da feira, o Ruraltins, em comemoração aos 31 anos do Colégio Agropecuário de Natividade, realizou o I Encontro Tecnológico Agropecuário, nos dias 12 e 13. O evento, que contou com a participação de agricultores, técnicos e estudantes, ofertou cursos de alimentação alternativa para animais no período da seca, boas práticas de manipulação de alimentos e manejo da piscicultura e palestras sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR), ministrados por extensionistas do órgão.