Cultura

A secretária de Defesa e Proteção Social, Gleidy Braga, juntamente com a diretora o Sistema Socioeducativo, Naysângela Tenório, e membros de sua equipe técnica reuniram-se nesta sexta-feira, 19, na sede da secretaria com integrantes da Associação Palmas de Hip Hop e com a coordenadora de Educação Prisional da Secretaria de Educação (Seduc), professora Ana Stella Rodrigues Ferreira, para dar início ao projeto que utilizará a arte como meio de ressocialização nas unidades dos sistemas socioeducativo e prisional do Tocantins. 

“Todos nós temos algum talento que precisa ser descoberto ou estimulado. Esta será uma forma de lançarmos um novo olhar sobre as pessoas que estão privadas de liberdade e valorizar o que elas têm de bom”, afirmou a secretária, lembrando que além dos adolescentes em cumprimento de medidas socieducativas, a maioria da população no sistema prisional é composta por jovens com idade entre 18 e 28 anos.

Gleidy Braga pediu agilidade para implantação do projeto, considerando os aspectos legais para firmação de convênio entre a Sedpes e a Associação, de modo que as ações sejam iniciadas no próximo mês de julho. “O hip hop  será  uma espécie de fio condutor, o motivador de outras modalidades como a música, o grafite, a literatura e outras aptidões que forem surgindo”, esclereceu a gestora. 

Para Wilson Moreira Mourão, o mano Wilson do Hip Hop, o projeto tem possibilidades de ir mais além. “Vamos desenvolver o potencial desses jovens, publicar o que de melhor for produzido e aqueles que se sobressaírem e tiverem interesse poderão, ao saírem  do sistema, se profissionalizar e passar a fazer parte do nosso grupo”, afirmou Wilson. O projeto será implantado inicialmente em Palmas e posteriormente estendido a outros municípios do estado.

Hip hop é uma cultura artística que começou na década de 1970 nas áreas centrais de comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas da cidade de Nova Iorque. A tradução literal desta expressão é "balançar os quadris".

Sobre o Hip Hop

Quando o Hip Hop surgiu, concentrava-se nos disc jockeys que criavam batidas rítmicas, eram pequenos trechos de música com ênfase em repetições, posteriormente, foi acompanhada pelo rap, identificado como um estilo musical de ritmo e poesia, junto com as danças improvisadas, como a breakdance, o popping e o locking.

A relação entre o grafite e o Hip Hop surgiu quando novas formas de pintura foram sendo realizadas em áreas onde a prática do rap, do DJ e da dança. Entre as diferentes manifestações artísticas do movimento Hip Hop, a música se insere como papel principal, com DJs, MCs (mestre de cerimônias) e do Rap. (Ascom Sedeps)

Por: Redação

Tags: Gleidy Braga, Wilson Moreira Mourão