Campo

Foto: Divulgação

O Governo do Estado, por meio da Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) e o Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (Inpev) divulgaram nessa quinta-feira, 25, o resultado das dez ações de recebimento itinerante de embalagens vazias de agrotóxicos realizadas no Tocantins neste primeiro semestre. Os dados apontam que foram recebidas pelos órgãos, 10.856 unidades de embalagens, o que representam em volume recebido de 5.036 quilos, envolvendo diretamente 400 pequenos agricultores.

“Esta ação é de grande importância, pois ela vai ao encontro dos pequenos produtores rurais, alvo desta campanha, e isso possibilitou retirarmos do campo, um grande número de embalagens vazias de agrotóxicos que estavam em poder destes agricultores que possuem mais dificuldade em devolver suas embalagens,” disse o presidente da Adapec, Humberto Camelo, ressaltando que a retirada deste passivo do campo é benéfica ao meio ambiente e à saúde da população.

O diretor de Defesa, Inspeção e Sanidade Vegetal da Adapec, Carlos Cesar Barbosa avaliou que nos locais aonde a ação já ocorreu mais de uma vez está criando uma cultura de conscientização diferente em relação ao uso correto dos produtos agrotóxicos, desde aplicação, uso de equipamentos de proteção individual, armazenamento de embalagens e a devolução destas. “Com o trabalho de educação sanitária que a Adapec vem realizando em todo Estado, percebemos que os produtores estão mais conscientes não só em relação à devolução das embalagens de agrotóxicos, mais também no cuidado com o manuseio, por isso, este projeto vem ganhando força junto aos agricultores,” apontou Carlos Cesar.

Para alcançar este resultado positivo, o Governo do Estado, por meio da Adapec, mobilizou desde o mês de abril, equipes de inspetores e fiscais da Agência para realizarem nas regiões onde ocorreram os recebimentos itinerantes, um trabalho de divulgação e conscientização que envolveu escolas, associações rurais, sindicatos rurais e prefeituras.

O responsável Técnico pelo Núcleo de Agrotóxico, Lenyhawre de Almeida Lima disse que os produtores que entregaram as embalagens vazias de agrotóxicos receberam no ato da devolução um comprovante emitido pelas centrais que deve ser guardado pelo período de dois anos. Ele explicou também que as embalagens recebidas foram todas encaminhadas para as Centrais de Silvanópolis, Pedro Afonso e Imperatriz no Maranhão, parceiras do projeto.

Foram beneficiados com o recebimento itinerante neste primeiro semestre os municípios de Dianópolis (Projeto Manuel Alves), Paraíso do Tocantins, Miranorte, Barrolândia, Porto Nacional (Projeto São João), Buriti do Tocantins, Axixá, Araguatins, Tocantinopolis e Augustinópolis.