Palmas

Foto: Divulgação

Em respostas a rumores negativos sobre a rentabilidade das aplicações do Instituto de Previdência Social do município de Palmas (PreviPalmas), o vereador Milton Neris (PR) apresenta os investimentos no período de janeiro de 2012 a maio deste ano, que tiveram uma evolução nos rendimentos de quase 50%.

Segundo o parlamentar, a evolução dos rendimentos saltou de R$ 184 milhões em janeiro de 2012 para R$ 372 milhões até o mês de maio deste ano. As informações foram obtidas por ele junto ao Sistema Integrado de Auditoria Pública (Sicap) do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e nos Demonstrativos das Aplicações e Investimentos dos Recursos (Dair) do Ministério da Previdência Social.

De acordo com o vereador, é leviano se basear na experiência negativa de aplicações do Instituto de Gestão Previdenciária do Estado do Tocantins (Igeprev) e atacar o PreviPalmas. “Realmente a experiência de aplicações do Estado é ruim, pois foram mal administradas. Mas no município não está acontecendo isso. Devido a aplicações em ativos, os rendimentos da Carteira de Investimentos do PreviPalmas foram positivos, já que a rentabilidade foi influenciada pelos juros e inflação no período (IMA-B), o que justificam os ganhos”, analisou.

Milton Neris esteve reunido com a presidente do instituto de previdência municipal, Wally Aparecida Macedo Vidovix, que justificou que somente no ano de 2013 os rendimentos foram negativos. “Negativos devido à grande elevação da taxa de juros naquele ano, o que ocasionou a desvalorização dos ativos daquela época, resultante da crise financeira do País. Mas, mesmo assim, não chegou a trazer prejuízos para o Previ Palmas, já que não houve perdas”, apontou.

Sobre o ano de 2013, o Banco do Brasil justifica que acontecimentos econômicos foram responsáveis pela mudança de humor dos investimentos de forma geral no País, o que gerou incertezas ao mercado e rentabilidades negativas aos fundos de investimentos brasileiros. Mas o de Palmas superou essa maré de pessimismo. “A boa gestão do fundo previdenciário municipal é a garantia de futuro para os servidores de Palmas”, lembrou Neris.

Diante desses números, que ele torna público para qualquer cidadão palmense, Neris questiona a quem duvidou do PreviPalmas. “Onde está o prejuízo. Colocar o PreviPalmas como um vilão é um crime. Não podemos formar opinião negativa dessa forma irresponsável”, reclamou, provando que é sem fundamento contestar a evolução dos rendimentos. Para o vereador Jucelino (PTC), quem critica o PreviPalmas, na verdade, tenta pressionar o prefeito Carlos Amastha (PSB) a direcionar as aplicações também em bancos privados.

Evolução dos rendimentos

2012 – Saldo inicial era de R$ 184.325.143,73

2013 – Saldo inicial era de R$ 255.382.770,03

2014 – Saldo inicial era de R$ 263.649.019,86

2015 – Saldo inicial era de R$ 371.778.015,21

2015 – Saldo em maio era de R$ 372.544.989,80