Saúde

Foto: Divulgação A criança recebia tratamento no Hospital Infantil de Palmas e foi transferida para o HGP. A criança recebia tratamento no Hospital Infantil de Palmas e foi transferida para o HGP.

A menor, M.S.M.M, de um ano e três meses, estava em tratamento contra leishmaniose visceral (conhecida popularmente por calazar), desde o dia 8 de julho e veio a óbito na madrugada desta quinta-feira, 16, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Geral de Palmas (HGP). As informações foram repassadas pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesau).

A criança recebia tratamento no Hospital Infantil de Palmas e foi transferida para o HGP. De acordo com a Sesau, a causa da morte será investigada, conforme os protocolos específicos do Ministério da Saúde (MS).

A Secretaria de Saúde esclareceu que supervisiona e monitora os trabalhos de prevenção e controle da doença que são realizados como ações de rotina pelos municípios e reiterou que o esforço empregado no trabalho reflete na redução dos casos no Tocantins.

Dados

Tendo em vista que, em 2012, 337 casos de leishmaniose visceral foram registrados em todo o Estado; no ano seguinte, foram 265 casos novos notificados e, em 2014, ao todo, foram registrados outros 166 casos. O que demonstra queda de 50,7% no número de casos entre 2012 e 2014. De 1º de janeiro a 10 de julho foram notificados 73 casos da doença, segundo dados da Sesau.