Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Eduardo Siqueira Campos (PTB) fez várias críticas ao governo estadual e exaltou o governo de seu pai, ex-governador Siqueira Campos (PTB). Em razão dos questionamentos o líder do governo, Paulo Mourão (PT) foi á tribuna e fez longo discurso

Mourão disse que a política da fulanização gera instabilidade administrativa e saiu na defesa do governador Marcelo Miranda (PMDB). “ O Governo Marcelo Miranda chegou com princípio democrático por isso que foi só quando ele assumiu o governo que esse estado teve diálogo com a força trabalhadora. Dizer que José Wilson só fez coisas boas porque isso é um acinte. Houveram muitos equívocos principalmente na forma de implantar o Estado de não sustentar o Estado num processo produtivo e sim politiqueiro”, criticou.

Exaltado, o processo ditatorial que criou medo na sociedade. “ Tiveram atos extremamente graves na concepção de um poço e foi esse processos que deformou o Estado e hoje um estado novo já empobrecido nas questões políticas. Não venha querer colocar a culpa no governador Marcelo Miranda”, disse.

O deputado chegou a dizer que: “houve corrupção deslavada envergonhando nosso povo”, chegou a dizer se referindo ao Igeprev. O deputado defendeu ainda uma reforma administrativa urgente. “Este estado não precisa mais de 10 secretarias!”, defendeu. Ele sugeriu ainda que faça uma discussão com o setor de grãos. O líder do governo comentou ainda que não é o momento oportuno de pedir a carga horária de seis horas para o funcionalismo estadual . “ O Estado precisa é justamente aumentar sua capacidade, estimular o desenvolvimento do trabalho entoa talvez não seja o momento oportuno”, disse.

Questionado pelo deputado Elenil da Penha se o governo já tem uma estratégia para reforma Mourão admitiu que não tem conhecimento se haverá mudanças.