Polí­tica

Foto: Divulgação

No próximo sábado, 15 de agosto, o deputado Olyntho Neto (PSDB) visitará o Hospital Regional de Araguaína, compondo a equipe do Comitê Gestor da Saúde, que realiza uma série de atividades com o objetivo de monitorar as demandas de atendimento à saúde no Tocantins.

O Comitê Gestor da Saúde foi criado durante a audiência pública realizada na Assembléia Legislativa, em maio deste ano. Na ocasião Olyntho Neto propôs a realização de um plano de ação para os próximos quatro anos e sugeriu ao secretário de Estado da Saúde, Samuel Bonilha, que esse planejamento seja apresentado à toda população tocantinense. “Não é hora de buscar culpados pela situação em que se encontra a Saúde no Tocantins. O momento é de unir forças para encontrar soluções e vencer as dificuldades”, avaliou o Deputado.

Olyntho demonstrou preocupação com a notícia de que a Vigilância Sanitária do Estado interditou, nesta quinta-feira, 13, o aparelho de Radioterapia terceirizado pelo Governo em fevereiro deste ano. “ Nós precisamos apurar o que está acontecendo”, alertou Olyntho lembrando que quase 150  pacientes que fazem tratamento contra Câncer  em Araguaína pelo SUS (Sistema Único de Saúde) chegaram a ser encaminhados à Goiânia (GO) para não ficarem sem atendimento, quando a máquina entregue ao Hospital apresentou defeito.

Dentre os fatos que serão apurados pelo Deputado durante a visita é a informação de que o acelerador linear, aparelho que faz a radioterapia interna nos pacientes e que atende uma média de 90 pessoas por dia em Araguaína, também estragou por estar instalado em local inadequado e está funcionando sob a responsabilidade da empresa Instituto Oncológico Ltda, de Minas Gerais, contratada pelo Estado.

Na visita ao hospital em Araguaína e nos demais hospitais públicos do Tocantins, Olyntho Neto irá verificar as condições de estrutura,  superlotação, falta de medicamentos, dentre outros, para ter um levantamento real da situação atual da saúde no Estado.

Outra preocupação de Olyntho é sobre as obras paralisadas, como a construção dos hospitais gerais de Araguaína e Gurupi e a ampliação do hospital  de Augustinópolis. Segundo ele, a conclusão dessas obras seria a solução para muitos desses problemas.