Estado

Foto: Divulgação

Os assistentes sociais do Tocantins reuniram-se nessa quinta-feira,13, na sede do Conselho Regional de Serviço Social (Cress/TO) em Assembleia Geral Ordinária para discutir dentre os assuntos a eleição da delegação para representar o Estado no 44º Encontro Nacional do Conjunto Cfess/Cress e no Seminário Nacional de Comunicação, que serão realizados na cidade do Rio de Janeiro, de 03 a 07 de setembro deste ano. O objetivo do encontro é monitorar as deliberações do conjunto, o cumprimento da agenda elaborada no ano de 2014. Atendendo o que dispõe o Estatuto do Conjunto Cfess/Cress, o conselho  poderá encaminhar seis delegados (conselheiros do Cress e profissionais de base) e convidados.

A assembleia discutiu ainda a lei federal 8662/93, que trata das 30 horas semanais para os assistentes sociais, destacando as dificuldades e limitações enfrentadas para sua regulamentação no Estado do Tocantins. Tendo em vista isso, foi criada uma comissão de trabalho e articulação, com representantes do Cress e de profissionais de base, no intuito de discutir, articular e direcionar trabalhos referentes a essa temática. 

“A assembléia geral da categoria se constitui como fórum de deliberação, previsto no regimento interno do Cress /TO da 25ª Região, sendo um momento político importante para definição de assuntos referentes à categoria profissional. Entendendo que é necessário fortalecer a militância e participação dos profissionais em vários espaços, como no Encontro Nacional do conjunto Cfess/Cress, sendo este uma instância máxima de deliberação da categoria. E ainda, intensificar a luta em defesa dos  nossos direitos enquanto classe trabalhadora, como categoria profissional  para efetivação das 30 horas aos assistentes sociais no Estado.Com a criação da comissão de trabalho, creio que podemos avançar de forma significativa, auxiliando nesse processo", destacou o presidente do Cress/TO Jurimar Mendes Lima Junior.

Para o assistente social, Joatan Silva de Jesus, é importante o profissional  participar  da assembleia. “É essencial a nossa participação como profissional na assembleia para assim nos atualizarmos sobre as nossas reivindicações. E a questão das 30 horas é uma demanda que compete a todos nós”, disse.

Já a assistente social Lucimar Santana Mendes, ressaltou que é importante a participação de representantes dos assistentes sociais do Estado  no Encontro Nacional e  a criação da comissão de trabalho voltada a questão das 30 horas será de grande valia.