Campo

Foto: Divulgação Mais de 19 mil quilos de melancias serão entregues na segunda-feira para dez aldeias da etnia Apinajé Mais de 19 mil quilos de melancias serão entregues na segunda-feira para dez aldeias da etnia Apinajé

A assistência técnica e a extensão rural levam ao pequeno produtor novas tecnologias, promovendo assim o desenvolvimento no campo. O exemplo vem de Araguatins, município localizado a 600 km de Palmas, na região do Bico do Papagaio, onde o Governo do Estado, por meio das ações de extensionistas do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), vem transformando a vida de produtores de melancias nas pequenas propriedades rurais. A região, que em 2005, produzia aproximadamente oito toneladas por hectare saltou para mais de 35 t/ha em 2015.

De acordo com o extensionista Felismino Filho, para alavancar a produção na região, o órgão promoveu capacitações, demonstrações práticas, dias de campo e aplicação de tecnologias como: conservação de solo; uso de sementes selecionadas e altamente produtivas; utilização de irrigação; aplicação de fertilizantes via irrigação e outros tratos culturais. “Araguatins conta com 35 produtores, sendo, hoje, o maior produtor da fruta na região do Bico do Papagaio”, frisou.

Produção de melancia 

O extensionista afirma ainda que a área assistida pelo Ruraltins, mesmo sendo pequena, cerca de 50 hectares, coloca o município como maior produtor de melancia da região, com uma produção de quase duas mil toneladas. A cultura movimenta a economia gerando cerca de R$ 2 milhões por safra, ofertando em média 150 empregos diretos, além de vários empregos indiretos. O plantio vai de março a julho e a colheita de junho a outubro.

Segundo o extensionista, a produção é comercializada em Araguatins e nos municípios circunvizinhos, além dos estados do Pará e Maranhão. “Para impulsionar o escoamento, os agricultores conseguem comercializar também nos programas governamentais como: Compra Direta Local da Agricultura Familiar e Programa Nacional de Alimentação Escolar (Pnae). O valor do quilo da fruta está sendo comercializada na região entre R$ 0,85 a R$ 1,10”, finalizou Felismino Filho.

Doação à comunidade indígena  

No sentido de colaborar com o escoamento da produção, o Ruraltins adquiriu, por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), mais de 19 mil quilos de melancias dos agricultores de Araguatins, a serem entregues, na segunda-feira, 31, para dez aldeias da etnia Apinajé, localizadas no município de Tocantinópolis. Os alimentos serão destinados às escolas e à população indígena, público prioritário do programa, beneficiando cerca de 2.100 pessoas.

De acordo com o servidor do Instituto, em Araguatins, Gracion de Andrade, a doação para as aldeias é devido à escassez de alimentos nesse período da seca, como também é uma forma de regular o mercado. “Para evitar a perda do produto que às vezes não é absorvido na sua totalidade, o PAA compra o excedente da agricultura familiar e destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional, aonde for necessário”, acrescentou.

PAA

Criado em 2003 pelo governo federal, o Programa de Aquisição de Alimentos, tem como finalidade minimizar a pobreza no Brasil e fortalecer a agricultura familiar. Para participar, o agricultor precisa estar cadastrado e entregar, regularmente, seu produto, até o limite permitido que hoje é de R$ 6,5 mil/ano, por agricultor. Neste ano, o Governo do Estado estima contemplar 1.000 entidades e 170 mil pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional. A previsão é aplicar no total, R$ 21,5 milhões na compra de produtos.