Meio Ambiente

Foto: Antônio Gonçalves

A Secretaria Municipal  de Segurança e Defesa Civil lança nesta terça-feira, 01, às 9 horas, na Sala Sinhozinho, no Espaço Cultural José Gomes Sobrinho, a Operação Setembro sem fogo. O lançamento terá a presença do titular da pasta, Francisco Viana, e ainda da presidente da  Fundação do Meio Ambiente, Germana Pires,  e de representantes de vários  órgãos parceiros.

Na ocasião será apresentado o balanço das ações  de combate as queimadas no primeiro semestre e um calendário com as  estratégias de prevenção e combate da Operação Setembro sem Fogo.

Ainda no período da manhã será realizada uma blitz educativa  na Avenida NS-02 (próximo a JL Meurer)  onde haverá distribuição de panfletos com mensagens educativas.

Já no período da tarde, será realizada uma força tarefa de fiscalização em locais onde há maior incidência de queimadas neste período.

As ações terão a participação da Guarda Metropolitana de Palmas (GMP), Corpo de Bombeiros, Fundação do Meio Ambiente, e Polícia Ambiental.

Neste ano, segundo dados da Defesa Civil, os meses de junho e julho lideraram  o ranking de focos de incêndio, com respectivamente 118 e 100 focos combatidos.

Ainda de acordo com o órgão, a maior concentração ocorreu na região Sul, com 59% dos casos.  “Nossa equipe elaborou o mapa de risco de queimadas que facilitará a localização dos locais de maior ocorrência de queimadas não controladas durante este período critico”, ressaltou o superintendente da Defesa Civil Municipal,  Iranilton Sales.

A Operação Setembro sem Fogo terá como objetivo intensificar as ações de fiscalização e de combate às queimadas no município de Palmas.

Durante todo o mês de setembro, a Defesa Civil Municipal em parceria com vários órgãos ambientais, realizará  blitz educativas e força-tarefa no combate às queimadas e  a fiscalização  nas áreas de risco.

A Defesa Civil Municipal atua com 40 agentes de prevenção e combate a incêndio que trabalham em escala de 12/36, das 8 às 20 horas. O órgão conta ainda com dois veículos para combate a incêndio, sendo um caminhão de combate, com capacidade para  2 mil litros de água, e outro  com reservatório flexível com capacidade para 400 litros de água,  usado em  locais de difícil acesso. Também são usados abafadores e bombas costais.