Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado do PMDB, Elenil da Penha repercutiu o fim do prazo para a circulação das vans em Palmas que segundo decreto do prefeito Carlos Amastha terminaria nesta terça-feira, 15 . Na tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins, ele criticou a proibição de levar e buscar passageiros do interior em endereços frequentados pelos mesmos na capital. “Julgo adequado a preocupação de todos os vanzeiros que não tem como buscar os passageiros porque há um decreto em vigor, o decreto não foi desfeito nem alterado e dentro dessa visão a prefeitura vem discutindo, discutindo mas as falas tem sido apenas verbal não há materializado nenhum sinal de modificação e de transformação do decreto”, disse.

A deputada do PT, Amália Santana também comentou o assunto. “Espero bom senso que o prefeito reflita melhor, que recue e melhore a proposta porque senão vamos continuar num desgaste inclusive para o prefeito”, afirmou. 

A deputada Luana Ribeiro (PR) chegou a dizer que é necessário que a situação seja esclarecida porque muitos motoristas de vans temem levar multa em razão do prazo que pelo decreto se encerra hoje.

O decreto do prefeito Amastha gerou insatisfação geral no setor e até uma audiência pública foi realizada na Assembleia sob manifestação de dezenas de motoristas de vans na Casa de Leis.

Os deputados começaram a intermediar a situação junto a prefeitura mas até agora não há nenhum desfecho formal sobre o assunto. Para tentar conter as críticas o deputado aliado da prefeitura, Ricardo Ayres (PSB) disse que o prazo deverá ser prorrogado e que a prefeitura ainda analisa as alterações.