Campo

Foto: Juliano Ribeiro

A Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária (Seagro) continua com as atividades de levantamento nas comunidades rurais nas unidades produtivas do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). Nesta semana, 21 a 26, a equipe de campo realiza o diagnóstico nos municípios de Almas, Novo Jardim, Rios dos Bois e Palmeirante, perfazendo um total de 85 famílias de agricultores.  

Para o assessor do crédito fundiário, José das Crianças, o diagnóstico nas unidades produtivas busca levantar as principais demandas para, posteriormente, servir de base para implantar ações de melhorias nas comunidades rurais. “Após o levantamento, buscaremos traçar ações para revitalizar os projetos agrícolas, promovendo a produção, geração de emprego e renda, além de melhorar a organização dos agricultores familiares”, argumentou.

O assessor adianta que, inicialmente, em visitas nas comunidades, as demandas apontadas pelos agricultores se referem à produção, organização social, comercialização dos produtos, educação e acesso as políticas públicas. “A intenção é buscar identificar as necessidades estruturais dos projetos agrícolas em cada comunidade rural e, posteriormente, planejar ações estratégicas de melhorias nestas localidades”, disse.

Etapas

A pesquisa iniciada no final de agosto é realizada em etapas. Cinco municípios já foram visitados. Nesta primeira etapa será realizado 30 diagnóstico nas unidades produtivas do PNCF, perfazendo um total de 650 famílias beneficiadas.

Comunidades

As comunidades em visitas nesta semana são: Associação Santa Cruz (Almas), Associação de Apoio aos Pequenos Produtores Rurais de Novo Jardim (Novo Jardim), Associação Família Unida (Rio dos Bois) e Associação dos Produtores Rurais Coração do Araguaia (Palmeirante do Tocantins). 

A realização do diagnóstico é fruto de um convênio, entre a Seagro e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Participam também do levantamento, a Federação dos Agricultores do Estado do Tocantins (Fetaet), Delegacia Federal de Desenvolvimento Agrário (DFDA), o Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins) e empresas de extensão rural.