Polí­tica

Foto: Divulgação
 

O ouvidor Regional Eleitoral, juiz Agenor Alexandre da Silva foi designado pela presidente do Tribunal Regional Eleitoral do Tocantins (TRE-TO), desembargadora Ângela Prudente, como gestor das Metas Nacionais do Poder Judiciário, no âmbito do 1º grau da Justiça Eleitoral do Tocantins, conforme determina as diretrizes normatizadas pelas Resoluções 70 e 76 do Conselho Nacional de Justiça.

A desembargadora Ângela Prudente destacou a importância do acompanhamento das Metas Nacionais e afirmou “confio na atuação do Agenor Alexandre como gestor das metas e na colaboração e dedicação de todos nossos magistrados e servidores que compõem esta Justiça Eleitoral, para que juntos possamos cumprir com altivez as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça", disse a Presidente.

O juiz Agenor Alexandre agradeceu a indicação da Presidente para o cargo e explicou como será feito o trabalho conjunto com a Corregedoria Regional Eleitoral para o acompanhamento à execução das metas,    “Conjuntamente com a Corregedoria Regional Eleitoral, o que pretendemos a princípio é especificar quais as Metas atinentes à Justiça Eleitoral e, após, fazermos um "Raio X" dos processos eleitorais pendentes no 1º Grau, identificando em qual Zona o problema se concentra e suas razões, sejam elas judiciais ou administrativas, justamente para que possamos, a partir de então, buscar soluções para "baixar" o número de processos eleitorais porventura pendentes”, explicou.

Em suma, o juiz Agenor Alexandre afirmou que “pretendemos unir esforços com os Juízes de 1º grau, juntamente com os brilhantes e competentes servidores desta Justiça Eleitoral a fim de se buscar um Poder Judiciário Eleitoral ainda mais prestigiado e fortalecido, em respeito àqueles que nos pagam, os jurisdicionados”, disse.  

A designação do magistrado foi feita por meio da Portaria Nº 468/2015 - TRE/TO publicada no Diário da Justiça Eleitoral desta segunda-feira (21/9).

Sistema de Metas Nacionais

O sistema tem como característica o cadastro e gestão das Metas estabelecidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ). O sistema possibilitará o cadastro de perguntas vinculado às metas para preenchimento dos tribunais e órgãos que fazem parte de tais metas. Com base nos dados informados o sistema deverá gerar relatórios gráficos informando o cumprimento das metas.