Estado

Foto: Divulgação

O Tocantins tem registrado avanços nos dados com relação aos indicadores socioeconômicos. Com relação ao índice de Desenvolvimento Humano (IDH) os últimos levantamentos mostram que o Estado no geral, avançou do 18º para o 14º lugar, saindo de um IDH de 0,525 para 0,699, porém, ainda bem abaixo da média nacional, de 0,727.

O IDH avalia indicadores como educação, renda per capita e longevidade da população, em uma escala que varia de 0 a 1. No atlas deste ano há cinco categorias de IDH: muito baixo (0 a 0,499); baixo (0,500 a 0,599); médio (0,600 a 0,699); alto (0,700 a 0,799) e muito alto (0,800 a 1). Os dados são do Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil.

Palmas registrou a maior taxa de crescimento no Índice de Desenvolvimento Humano entre todas as 27 capitais do País, entre 1991 e 2010, por outro lado o último colocado do Estado nesse triste ranking dos piores IDHs é Recursolândia.

Milionários

Segundo dados da Receita Federal o Tocantins é o Estado do País com a maior quantidade de pessoas que viraram milionárias: 61 pessoas. A receita trabalha com números menores porque se baseia em dados de renda tributável declarada pelos contribuintes e muitos omitem dados ou fazem investimentos em nome de empresas para reduzir o imposto devido. O Tocantins é considerado um dos maiores celeiros de novos milionários do País.

Levantamento feito pelo Conexão Tocantins com base na declaração de bens dos parlamentares eleitos para Assembleia Legislativa do Estado, Câmara dos Deputados e Senado da República mostra que 20 declararam bens acima de R$ 1 milhão, o que representa mais de 30% dos milionários que a receita estima que o Estado tem. Incluindo os prefeitos de algumas das maiores cidades do Estado o número vai para 40%.

O Tocantins registrou crescimento de 510% no número de milionários, enquanto isso,  172 mil famílias ainda passam fome.

Funcionalismo

O IBGE divulgou um levantamento com relação ao número de servidores das prefeituras e dos estados de todo o país. Os dados mostram que o Tocantins é o Estado que têm os maiores percentuais de servidores nas prefeituras em relação às populações das cidades: 6,2%, seguido pelo Amazonas (5,2%) e os estados do Nordeste (entre 6,3% e 5,2%), com exceção da Bahia e Pernambuco. Os dados são referentes a 2014.

No Estado, 62% dos servidores nos 139 municípios são concursados.

A pesquisa também levantou a quantidade de servidores estaduais. Neste quesito Distrito Federal, Acre e Roraima têm os maiores percentuais de funcionários públicos estaduais com relação à população dos estados. O Tocantins tem cerca de 35 mil servidores estaduais concursados (67% do funcionalismo estadual) e é o quinto com relação aos outros estados do país  o que representa 3,6 % do total da população. Com relação ao perfil destes servidores a pesquisa mostra que maioria cursou apenas o ensino médio.

O primeiro ente da federação com mais servidores com relação à população é o Distrito Federal com 5,1%, depois os estados do Acre e Roraima, ambos  com 4,9%, seguida pelo Amapá com 3,9%. Os dados mostram que São Paulo é a unidade da federação com mais servidores estaduais em números absolutos (601 mil).

Contratações nas prefeituras

O levantamento do IBGE mostra ainda que a maioria das contratações nas prefeituras são pelo regime estatutário que representam 61,1% do total de funcionários em 2014 se considerados também os celetistas (contratados pela CLT), comissionados, estagiários e pessoas sem vínculo empregatício. Em todo o país os concursados (contratados como estatutários e CLT) somam 4,6 milhões.

Segurança Pública

O levantamento feito pelo IBGE com relação aos estados, mostra alguns índices da segurança pública. Um deles é o comparativo dos efetivos das polícias civil e militar nos estados. Dos sete estados da região norte o Tocantins tem o terceiro pior deficit na proporção de policiais por habitantes. Apenas dois estados tem déficit de policiais por habitantes pior que o Tocantins: Pará e Amazonas.

Com relação à Polícia Civil o Estado do Pará tem apenas 1 policial para cada 2.881 e o Amazonas 1 para cada 1.683. Já com relação à Polícia Militar o estado da região que tem maior deficit de policial militar por habitante é o Pará, com 1 policial para cada 500 habitantes, embora tenha um efetivo de 15 mil policiais. O Estado do Amazonas tem o segundo pior deficit, com 1 policial para cada 421. 

Terceiro pior deficit de policial por habitante, o Tocantins tem 3.855 policiais militares sendo 3.384 homens e 471 mulheres, o que representa 1 policial para cada 383 habitantes do Estado. Na região norte o Estado do Amapá é o que tem mais policiais por habitantes; 1 policial para cada 199.

Com relação ao efetivo da Polícia Civil os dados mostram que o Tocantins tem o terceiro maior efetivo da região norte. São 1.679 policiais civis, sendo 1.204 homens e 475 mulheres. Entretanto, também na Polícia Civil, o Estado tem o terceiro pior deficit na relação policial por habitante, sendo 1 policial cada 880 pessoas.