Polí­cia

Foto: Divulgação

Na tarde da segunda-feira, 5, policiais civis da delegacia de Dianópolis, no sudeste do Estado, comandados pelo delegado regional Ibanez Ayres da Silva Filho e pelo delegado Afonso José de Azevedo Lyra Filho deram cumprimento a dois mandados de busca e apreensão e a um mandado de prisão preventiva, os quais resultaram na prisão de Aloysio de Araújo Costa Neto, de 35 anos e no fechamento de um cassino clandestino que o suspeito mantinha em um bar de sua propriedade, localizado no Centro da Dianópolis, no Sudeste do Estado.

Conforme o delegado, as equipes da 8ª DRPC, com apoio de policiais militares deram cumprimento a dois mandados de busca e apreensão na residência de Aloysio e, também no bar de propriedade do suspeito, onde os policiais descobriram o funcionamento de cassino clandestino, nos fundos do imóvel. Logo em seguida, os policiais foram até a residência de Elizan Silva Gomes, 38, onde foram apreendidas duas espingardas de fabricação artesanal, calibres 22 e 28, além oito munições de calibre 28 e 33 de calibre 22.

Ainda de acordo com o delegado, houve um roubo, na modalidade conhecida com “sapatinho”, a uma agência do Banco do Brasil de Luís Eduardo Magalhães-BA, onde os autores sequestraram a família do gerente do banco até que o crime fosse executado. Como o núcleo de inteligência da 8ª Delegacia Regional de Polícia Civil (DRPC) já estava monitorando os passos de Aloysio e Elizan, as informações foram repassadas à polícia da Bahia dando conta de que os mesmos estariam naquele município e que, provavelmente, teriam ligação com o roubo.

De posse das informações da polícia civil de Dianópolis, os agentes da Bahia prenderam os dois suspeitos para averiguações e informaram os policiais civis do Tocantins, que se deslocaram até Luís Eduardo e cumpriram o mandado de prisão preventiva em aberto, contra Aloysio pela prática de roubo a uma lotérica, fato ocorrido no dia 4 de setembro em Ponte Alta do Bom Jesus.

O indivíduo foi recambiado para Dianópolis, onde foi recolhido à Casa de Prisão Provisória (CPP) da cidade e permanecerá à disposição do Poder Judiciário. Ele também foi indiciado por exploração de jogos de azar, tipificado na lei de contravenções penais, já Elizan foi indiciado e responderá inquérito por posse ilegal de armas e munições.

Por: Redação

Tags: Polícia, Polícia Civil