Saúde

Foto: Divulgação

A costura, o artesanato, horas a fio em conexão nas redes sociais e outras tarefas próximas fazem com que a miopia seja mais frequente entre mulheres, segundo o oftalmologista do Instituto Penido Burnier, Leôncio Queiroz Neto. Isso acontece, explica, porque o excesso de esforço visual para perto aumenta a propensão à miopia que é a dificuldade para enxergar à distância. O primeiro estudo a levantar esta relação foi realizado pelo oftalmologista com 390 crianças que passavam 6 horas/dia no computador ou videogame. Recentemente, o aumento da miopia devido a maior demanda pela visão de perto foi tema na Espanha da I Jornada Ibero-americana  e de um estudo que acaba de ser publicado por pesquisadores britânicos no periódico científico, Jama Ophthalmology.

"As mulheres também têm mais propensão ao astigmatismo devido ao uso de maquiagem e cosméticos", afirma Queiroz Neto. Isso porque,  o astigmatismo é uma deformação na córnea, lente externa do olho, que pode estar relacionada ao fator hereditário, à alergia e ao hábito de cocar os olhos desencadeado por estes produtos, afirma.

Tanto a miopia como o astigmatismo podem ser corrigidos com óculos de grau ou lente de contato. O problema é que uma pesquisa desenvolvida pelo Ibope com 284 mulheres que corrigiam a visão com óculos, mostra que 1 em cada 3 deixam de usar o acessório por vaidade. Outras 20% das participantes afirmaram que os óculos atrapalham no dia-a-dia. A boa notícia é que a miopia, o astigmatismo, a hipermetropia e até a presbiopia ou vista cansada que aparece depois dos 40 anos podem ser corrigidos pela cirurgia refrativa.

Como funciona

Queiroz Neto afirma que com exceção dos implantes para correção de altos vícios refrativos e de algumas técnicas para corrigir a presbiopia, em toda cirurgia refrativa é usado um Excimer, laser que emite luz fria, para moldar a córnea. É esta modelagem que faz a luz ser focada em um único ponto, exatamente  sobre a retina.

No Lasik, explica, o cirurgião faz um corte manual na camada externa da córnea, aplica o Excimer laser na camada intermediária para modelar a visão e recoloca a lamela recortada no mesmo lugar.

A cirurgia com femtosegundo é inteiramente a laser, do corte da lamela à remodelagem da córnea. É mais segura e previsível porque o corte a laser evita as imprecisões causadas pelo tremor natural da mão do cirurgião. A técnica permite economizar até 20% de tecido da córnea. Por isso, pode ser feita em córneas mais finas.

No PRK, o especialista afirma que não há corte. O Excimer laser é aplicado na superfície da córnea para fazer uma raspagem que modela a visão. A recuperação é mais lenta e dolorida, mas pode ser feita em córneas mais finas.

A cirurgia também pode ser personalizada e corrigir além do vício de refração, aberrações visuais. São pequenas imperfeições que atrapalham a visão diagnosticadas no pré-operatório através de um aberrômetro.  A correção é feita com um wavefront, ou sistema te frente de onda.

O implante de lente para corrigir altos vícios de refração é a única técnica reversível, já que a lente pode ser retirada. O oftalmologista diz que a lente é implantada entre a íris e o cristalino. Pode corrigir até 20 graus de miopia, 10 de hipermetropia e 6 de astigmatismo.

A correção da presbiopia pode ser feita por várias técnicas: presbilasik, ceratoplastia condutiva e laser de femtosegundo.

O especialista explica que o presbilasik esculpe a córnea deixando a região central para enxergar de perto e a região periférica para enxergar de longe.

A ceratoplastia condutiva consiste na aplicação de radiofrequência para modificar o formato da córnea através do calor dessa energia.

O laser de femtosegundo é aplicado também no centro da córnea para modificar sua curvatura. Em todas as técnicas de correção da presbiopia o oftalmologista ressalta que a dificuldade de enxergar de perto pode voltar porque a presbiopia resulta da falta de flexibilidade do cristalino e a correção é feita na córnea.

A escolha entre uma técnica ou outra de cirurgia refrativa depende da espessura da córnea e do grau a ser corrigido. O Lasik, ressalta,  pode corrigir graus mais elevados do que o PRK, mas só é indicado para córnea mais espessa.

Contraindicações

Queiroz Neto afirma que toda pessoa que passa pela cirurgia refrativa fica com olho seco temporário porque os procedimentos causam alterações nas fibras nervosas da córnea. Na opinião do médico este é um problema menor por ser temporário. Ainda assim, nem todos que querem se livrar dos óculos podem passar pela cirurgia refrativa. As principais contraindicações são: olho seco severo  ●córnea fina  ●gravidez ou amamentação  ●doenças na córnea, retina ou glaucoma  ●menos de 21 anos  ●instabilidade no grau há menos de 1 ano ●doenças autoimunes  ●dificuldade de cicatrização  ●Tratar acne com isotretiona.

Segundo o especialista. diversas pesquisas mostram que 98% dos que operam ficam satisfeitos, mas estar livre dessas contraindicações é essencial para ter uma cirurgia bem sucedida, conclui.