Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Paulo Mourão (PT), líder do governo na Assembleia Legislativa, se pronunciou na tribuna durante sessão solene em homenagem à Liga Feminina de Combate ao Câncer, realizada na manhã dessa quinta-feira, dia 22, atendendo a um requerimento do deputado Cleiton Cardoso (PSL), ocasião em que falou da necessidade do Estado criar políticas prioritárias de saúde pública de prevenção da doença.

Além de garantir uma emenda parlamentar de sua autoria para ajudar nas ações preventivas da Liga, Paulo Mourão propôs uma emenda coletiva do orçamento, que está para ser debatido na Casa, a fim de garantir recursos para suprir a demanda de ações na prevenção e tratamento da doença. “O Estado tem que se responsabilizar pelos seus cidadãos e vamos estimular o Estado a ter um programa com garantias de liberação de nossas emendas para atender a Liga Feminina de Combate ao Câncer”, destacou.

Uma sugestão do deputado seria a aquisição de carretas como parte do programa para realizar um trabalho itinerante com ações preventivas de combate ao câncer de mama e colo de útero por todo o Estado. “Essa deve ser uma ação política de Estado prioritária de saúde pública, sem caráter de ação política partidária”, ressaltou. “Um programa de prevenção da vida, onde principalmente a mulher de baixa renda possa ter garantia do seu tratamento”, observou. “Esse programa deve ser coordenado pela Liga, sem intervenção política.Isso é política de Estado, isso é política pública, diferente de política de governo que quando o governo termina, acaba”, pontuou.

Paulo Mourão parabenizou às mulheres da Liga Feminina de Combate ao Câncer de Palmas e hipotecou sua solidariedade ao movimento Outubro Rosa, uma campanha para chamar a atenção das mulheres quanto à prevenção da doença “Você ter pena de alguém é uma coisa, você ser solidário é muito diferente. É isso que vocês fazem com esse trabalho, totalmente diferente do que o mundo lá fora vive. Ser solidário é dedicação, amor, carinho e doação sem querer nada em troca”, elogiou.

O deputado destacou as projeções de incidência da doença em mulheres previstas para o Tocantins. “A previsão do Inca- Instituto Nacional do Câncer, para 2014/2015 é de 180 mulheres com câncer de mama e 180 mulheres com câncer de colo do útero, olha que índice alto para uma população com 1 milhão e meio de habitantes, considerando que algo em torno de 49,6% são mulheres”, alertou.

Encerrando o discurso, Paulo Mourão propôs à presidente da Liga, Edneide Cardoso Pontes que se reunissem posteriormente, para criar uma comissão “a fim de fazer uma propositura à Assembleia para tornar o Programa de Combate ao Câncer virar um programa de política de estado, com recursos financeiros e com garantias de liberação, para a saúde da mulher e assim salvarmos vidas”, sugeriu. “ Um programa como esse deve  virar política de estado e ter a garantia orçamentária para que tenha continuidade os 12 meses do ano”, finalizou.