Saúde

Foto: Divulgação

Em Assembleia Extraordinária nesta quinta-feira, 10 de dezembro, na sede do Sindicato dos Médicos no Estado do Tocantins, os médicos decidiram não deflagrar imediatamente a greve da classe.

 A categoria considerou prudente aguardar o comportamento da gestão estadual quanto ao cumprimento dos últimos itens do acordo firmado com os servidores públicos. A decisão levou em conta o cumprimento, por parte do governo estadual, de parte do acordo que ainda possui itens a serem quitados nesta sexta-feira, 11. 

 A convocação para deliberar a greve havia sido feita logo após o governo estadual não ter cumprido com o pagamento de parcelas previstas para o último dia 30 de novembro. Como o pagamento ocorreu dias após a publicação do edital convocatório para deliberar a greve, a Assembleia Extraordinária foi mantida.

 Os médicos, porém, autorizaram a convocação de nova reunião para fixar o início de uma greve geral da categoria, caso alguns dos itens estabelecidos no acordo com o governo não seja cumprido em sua integralidade.

 Entre os itens a serem cumpridos nesta sexta-feira, estão o pagamento da parcela do adicional noturno e das gratificações (como para os médicos que trabalham em UTI e urgência e emergência) referente a novembro. Também devem ser pagos os plantões extras referentes a setembro e a outra metade da data-base.

Por: Redação

Tags: Sindicato dos Médicos