Estado

Os profissionais da área da Saúde do Estado do Tocantins farão caminhada e protesto na manhã desta terça-feira, 15, para reivindicar a resolução dos principais gargalos da área. A concentração será às 7h da manhã em frente ao Hospital Geral de Palmas (HGP).

Segundo a organização do movimento informou ao Conexão Tocantins, a pauta de reivindicação é por melhores condições de trabalho, contra a falta de materiais de trabalho, contra redução da alimentação nos hospitais públicos e ainda pagamento do adicional noturno e insalubridade.

A categoria dos enfermeiros alega ainda que não recebeu os plantões extras nem as gratificações. A caminhada irá até a sede da Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) onde os manifestantes esperam conseguir falar com o titular da pasta, secretário Samuel Bonilha.

Governo X Sindicatos

A Secretaria Estadual da Administração (Secad) informou através de nota na sexta-feira, 11, que em virtude da continuidade da greve dos servidores da Saúde, está suspenso o pagamento de adicionais noturno e insalubridade e outros benefícios que somam em torno de R$ 5,9 milhões, previstos para a folha de novembro.

Conforme a pasta, a medida se faz necessária, pois, mesmo com acordo selado com o governador em exercício, Osíres Damaso (DEM) que previa a normalização do atendimento com o pagamento adicional noturno, no valor R$ 1.314.000,00, no último dia 8, o movimento paredista se manteve.

O Sindicato dos Trabalhadores da Saúde do Estado do Tocantins (Sintras-TO) reagiu e afirmou que a posição do Estado só fortalece o movimento paredista da classe confirmando que a greve é totalmente legal e necessária para que os servidores garantam seus pagamentos de fato. A direção do sindicato diz que a greve só aconteceu após descumprimento dos acordos firmados com a categoria. “O governo mais uma vez mentiu para os servidores da saúde”, ressalta o presidente do Sintras, Manoel Pereira de Miranda.

Por: Redação

Tags: Greve, Greve da Saúde, Manoel Miranda, Sintras