Economia

Foto: Luciano Ribeiro

Consumo e endividamento das famílias palmenses em queda, um pequeno sinal de crescimento da confiança do empresário na economia, e uma retração na expectativa de consumo no Natal. Esse é basicamente o resumo do cenário econômico de Palmas relativo ao último mês de 2015, registrado pelas pesquisas realizadas pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), Fecomércio Tocantins e Instituto Fecomércio, no mês de dezembro

 Para o presidente do Sistema Fecomércio Tocantins, Itelvino Pisoni, em um ano de recesso econômico, de aumento da inflação e de severas medidas econômicas adotadas pelos governos estadual e federal, não havia como se esperar boas vendas no Natal e na virada de ano. “Infelizmente, as vendas de final de ano não foram tão boas para o setor, pois segundo estudos da CNC, a expectativa para o consumo de final de ano foi a menor dos últimos anos devido à crise econômica nacional”, enfatizou Pisoni.

 Natal – recuo na expectativa de consumo

Na data comercial mais esperada pelo empresariado, a expectativa de consumo no Natal de 2015 apresentou uma retração quando comparada à de 2014. Os dados foram obtidos por uma pesquisa realizada pelo Instituto Fecomércio em parceria com a Universidade Federal do Tocantins (UFT). A média das três principais cidades do Estado – Palmas, Araguaína e Gurupi – ficou em 51,7%, revelando um recuo de 21,2% com relação a 2014. Gurupi, com 63,9% ficou em primeiro na intenção, seguida por Palmas com 50% e Araguaína com 41,3%.

ICF – mais uma redução

Numa queda constante, a pesquisa de Intenção de Consumo das Famílias de Palmas (ICF) de registrou mais um recuo em dezembro, já que em novembro o seu índice geral era de 86,9% pontos. Em dezembro o índice caiu para 84,5%, apontando uma diminuição de 2,4 pontos. Na comparação com o mesmo período de 2014, a queda foi ainda maior de 34,1 pontos.

PEIC – nova queda

O índice geral da pesquisa sobre endividamento e inadimplência dos consumidores de palmas (PEIC) caiu de 70,8% de novembro para 69,3% em dezembro. A redução entre um mês e outro foi de 1,5%. Comparando com o mesmo período do ano passado, a diminuição foi de 8,8% já que em dezembro de 2014 esse índice estava em 78,1%. Das famílias, 79,1% delas disseram não possuir contas em atraso. O percentual das que afirmaram não conseguir quitar as dívidas ficou igual ao mês passado, ou seja, 0,3%. Já o comprometimento médio da renda acusou 33,3%.

ICEC – pequeno aumento na confiança

Na perspectiva de uma boa venda tanto no Natal, quanto na virada de ano, o empresariado palmense aumentou sua confiança em mais de 20 pontos. A pesquisa que mede o Índice de Confiança dos Empresários do Comércio (ICEC) mostrou que em novembro o índice estava em 58,1 e em dezembro subiu para 79 pontos. Mas na comparação com o mesmo período do ano passado, fica evidente a crise recessiva nacional, pois em dezembro de 2014 essa confiança estava em 110,5 pontos.

Mas o cenário continua preocupante porque 99,2% dos empresários se veem pessimistas diante da condição atual da economia brasileira. Outro cenário negativo foi o da expectativa com relação à economia brasileira, quando 51,5% do empresariado se mostrou pessimista. Na expectativa de contratação de funcionários, 75,8% estão apostando na redução desse quadro. Os empresários estão otimistas apenas na expectativa para o comércio (68,6%); Na expectativa da empresa (81,9%); e na situação atual do estoque acima do adequado (52,1%).

Por: Redação

Tags: Fecomércio, Itelvino Pisoni, Natal