Saúde

Foto: Josy Karla

Preocupado com o elevado número de casos de dengue, zika e chikungunya, o Governo do Estado inicia nessa quarta-feira, 27, a operação da Sala Estadual de Coordenação e Controle para o Enfrentamento da Dengue, Chikungunya e Zika. A implantação da sala é uma ação preconizada pelo Plano Nacional para Enfrentamento da Microcefalia, que tem como um dos eixos de atuação a intensificação das ações de prevenção e controle, com foco no vetor Aedes Aegypti. O ato simbólico de assinatura do documento para implantação da sala acontece às 9 horas, no Anexo I da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

A Sala Estadual, que foi criada pelo Decreto 5.368 do último dia 21 de janeiro, vai atuar principalmente no apoio à implantação das salas municipais e na consolidação das atividades realizadas nos municípios. Também serão desenvolvidas atividades conjuntas de mobilização entre diversos setores do governo, sendo membros deste grupo as Secretarias de Saúde, Casa Civil, Secretaria do Trabalho e Assistência Social (Setas), Secretaria de Estado da Educação (Seduc), além da Polícia Militar do Tocantins, Corpo de Bombeiros Militar do Tocantins, Defesa Civil Estadual, Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Tocantins (Cosems-TO) e Ministério da Saúde.

“O objetivo da Sala Estadual é aumentar a eficiência das ações de controle do mosquito, para que sua infestação diminua a níveis toleráveis em todos os municípios tocantinenses. Assim, está sendo proposto que as salas municipais envolvam toda gestão local, para que os moradores sejam mobilizados a realizar ações preventivas, cooperando com as visitas domiciliares realizadas por agentes de endemias e agentes de saúde e também cuidando dos quintais no dia a dia”, destaca o técnico da área de Dengue, Febre Amarela e Chikungunya, Marcos Timóteo.