Polí­tica

Foto: Divulgação

Durante a sessão na Assembleia Legislativa do Tocantins nesta terça-feira, 16, o deputado estadual Wanderlei Barbosa (SD), falou dos problemas enfrentados na Saúde e Segurança Pública do Estado e criticou o aumento de R$ 10,00 para R$ 127,00 na multa de Estacionamento Rotativo de Palmas. Segundo o deputado, o prefeito da Capital, Carlos Amastha (PSB), maltrata os pequenos. “Ele maltrata as pessoas com uma carga tributária gigantesca, ele maltrata aqui com o Estacionamento Rotativo. Os compromissos de campanha não foram cumpridos e não serão. O Amastha é a podridão da política desse Estado e desse município porque ele maltrata os pequenos, aqueles que nele acreditam”, afirmou.

Wanderlei Barbosa disse que o prefeito de Palmas trocou a Blue - empresa muito criticada que explora o Estacionamento Rotativo da capital - por agentes de trânsito e alfinetou o gestor. Segundo o deputado, o prefeito Amastha disse nas redes sociais, ironicamente, que odeia a Blue, empresa por ele contratada para explorar os estacionamentos de Palmas. “Ele vai nas redes sociais numa jogada de marketing e diz que odeia a Blue. Aí ele pega os agentes de trânsito e coloca lá nos estacionamentos para subir essa multa de R$ 10 para R$ 127 e tirar os pontos nas carteiras dos motoristas. Esse é o prefeito que aí está! ”, frisou.

O deputado não economizou nas críticas. Segundo ele, o ano é do engodo e da mentira por ser ano de eleição. “E ele não pode mais fazer a campanha dele com os maranhenses de atitude. Não pode fazer com as quadrilhas juninas porque ele deixou todo mundo a ver navios. Os líderes das quadrilhas juninas não tiveram dele o apoio. Os piauienses de atitude não tiveram o apoio, os tocantinenses de atitude não tiveram o apoio. Ele pegou apenas os catarinenses da quadrilha que ele trouxe de lá e colocou na Prefeitura como de atitude. Foi feito um governo com pessoas que não conhecem a nossa cultura”, disse.

Segundo Wanderlei, Palmas é administrada pelo marketing, pelas redes sociais. O parlamentar ainda falou da “briga” entre o prefeito Carlos Amastha e o governador do Estado, Marcelo Miranda. “A briga dele com o governador, isso é problema deles, mas da mesma forma que ele faltou com respeito com o governador, ele faltou com respeito com o pequeno, com o que usa o estacionamento. [...] Nós vivemos um momento muito difícil. Precisamos que os governos se entendam ao invés de ficarem brigando nos palanques”, afirmou.

Insegurança no Estado

O parlamentar criticou a atuação do governo do Estado diante de problemas na Saúde e Segurança Pública. “Passados um ano e dois meses de mandato do governo, nós nos preocupamos bastante com o que vemos acontecendo no nosso Estado. Recebemos aqui um pouco antes do carnaval, servidores da Saúde. E agora recebemos servidores da Defesa Social, da Segurança Pública do Estado. O que me preocupa é a situação em que o nosso Estado vive. Uma segurança pública que nos incomoda”, afirmou.

Ainda de acordo com o deputado, os hospitais públicos do Estado enfrentam dificuldades. “Precisamos agir imediatamente. Uma segurança pública praticamente inexistente, os índices de criminalidade crescendo do Estado e uma saúde que as pessoas chegam e elas não tem mais como serem atendidas”. Barbosa informou que a empresa responsável pelo fornecimento de alimentação no Hospital Geral de Palmas (HGP) está paralisando os seus serviços por falta de pagamento.

Wanderlei Barbosa disse que os funcionários contratados do HGP e Dona Regina estão sendo sobrecarregados e não estão dando conta de prestar atendimento adequado.  “É preciso que os enfermeiros, que os médicos não paralisem suas funções mas é preciso que o governo não sobrecarregue os contratados que estão no HGP, no Dona Regina. Estão sendo sobrecarregados e não estão dando conta de atender e as pessoas estão morrendo nos corredores dos hospitais. O governo tem que mostrar que é sensível”, frisou. 

Parabéns

Olyntho Neto (PSDB) parabenizou o discurso do Wanderlei Barbosa e completou: “Eu ainda não vi um benefício se quer para a população com a implantação do estacionamento pago”, afirmou. Olyntho disse ainda que o cidadão que vem do interior do Estado agora paga uma taxa, recebe uma multa e é colocado como inadimplente dos serviços de crédito. “E para quê?! O que que melhorou?! A população paga mais, é penalizada, o comerciante vê suas vendas diminuírem porque as pessoas param de ir aqueles comércios onde tem a Blue como referência, onde você tem a obrigação a pagar estacionamento rotativo”, criticou

Valdemar Junior (PSD) e Eli Borges (Pros) também parabenizaram o discurso do Wanderlei Barbosa. Valdemar, que foi secretário na gestão do prefeito Amastha, quando ainda era vereador na capital, disse conhecer o modus operandi do prefeito.