Polí­tica

Foto: Divulgação

Na tribuna da Assembleia Legislativa do Tocantins na sessão desta quinta-feira, 17, o deputado estadual José Roberto Forzani (PT) lançou críticas ao juiz Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, por tornar público áudios de conversas gravadas da presidente Dilma Rousseff e ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Para Forzani, o que aconteceu foi uma afronta a Constituição. “Um juiz ou desembargador fazer as suas ações em combinação com os barões da mídia é por si só um crime e é exatamente isso que o juiz Moro vem fazendo ao longo do tempo. Protegendo aqueles que é seu interesse e fomentando, intimidando, torturando aqueles as quais ele decide fazer”, sustentou.

Para Forzani, a gravação foi feita a partir do Palácio do Planalto sem autorização e só demonstra "cabalmente" a serviço de quem está parte do judiciário liderado pelo juiz Moro, parte do Ministério Público e parte da Polícia Federal. “E digo mais, e mesmo que fosse legal, nem o (ex) presidente Lula nem a presidente Dilma cometeram nenhum ato. Que não seja a espetacularização, principalmente, pelas organizações Marinho, a Rede Globo e suas concessionárias, a CBN e todas essas rádios que fazem parte do conglomerado Globo. que ao longo da nossa história do nosso País, ajudou a implantar a ditadura, ajudou a assassinar pessoas, fomentou, financiou a repressão neste País. E agora, mais uma vez, a Rede Globo junto com o setor reacionário do nosso País quer assumir o poder", criticou. 

Segundo José Roberto "nós não abriremos mão, vamos levar o governo até o fim. Agora o presidente Lula está tomando posse. Vamos retomar o nosso governo com a agenda ligada aos trabalhadores, com a agenda ligada a demanda da maioria da nossa população. E é esse o desespero de Moro porque ele de uma maneira arbitrária, fascista estava preparando a prisão do presidente Lula. É por isso que ele ficou chateado, porque saiu das mãos dele as decisões", afirmou. 

O deputado reafirmou que o juiz Sérgio Moro lidera o que o deputado chamou de "organização mafiosa, nazista". "Combinar um juiz, combinar ação com os barões da mídia, isso é inadmissível, não existe em lugar nenhum do mundo. Ele consulta a agenda e faz suas ações de acordo com os interesses da grande mídia. E lidera sim uma organização mafiosa, nazista. É isso que esse juiz Moro está fazendo", disse. 

José Roberto finalizou: "Não vamos nos curvar frente aos barões da mídia, frente a família Marinho, frente a família Jaime Câmara, não vamos nos curvar", frisou.