Polí­tica

Foto: Divulgação

O deputado Eduardo Siqueira Campos (DEM) apresentou nesta quinta-feira, 31, uma nova denúncia de retenção de recursos por parte do Governo do Estado. Desta vez, são descontos nos salários dos policiais e bombeiros militares, que obrigatoriamente, deveria ser destinados ao FunFarda, um fundo provido com recursos exclusivos dos militares para a compra do fardamento dos policiais.

De acordo com o deputado Eduardo Siqueira, os descontos estão acontecendo nos salários dos militares, mas os recursos não estão sendo repassados ao FunFarda. “Coronel Glauber foram repassados recursos ao FunFarda? Não é isso que diz a transparência”, indagou Siqueira.

O deputado afirmou que os militares estão sendo orientados a adquirir com seus próprios recursos os tecidos e arcarem com a despesa da confecção da farda, mesmo com os descontos para este fim acontecerem todos os meses. “Descontar, não comprar e ainda exigir que o policial militar compre é uma afronta”, protestou.

De acordo com o parlamentar, tem se tornado comum no Estado os descontos dos salários dos servidores e a retenção dos recursos destinados aos diversos fundos. “Desconta do servidor e não repassa aos bancos e deixa o servidor negativado. Não repassa ao Plansaúde, não repassa ao Igeprev”, enumerou.

Eduardo Siqueira relembrou a implantação do “de um pacotaço sem precedentes na história do Estado” e mostrou-se indignado com a repetição das respostas do Governo, que sempre argumenta não ter recursos para os repasses já descontados dos servidores. “Tudo aumentou, mas a partir desse aumento não tem dinheiro para o Funfarda, não tem dinheiro para o Plansaúde, não tem dinheiro para os consignados. O cidadão assiste a saúde piorar. As obras do HGP estão paradas. Assiste os municípios perderam as maquinas do PAM (Programa de Apoio aos Municípios). E agora o Governo fará diferente, contrata por R$ 10 milhões uma empresa para vigiar máquina parada. É pedir mais paciência, para o cidadão que já perdeu a paciência”, finalizou.