Polí­tica

O promotor de eleitoral da 5ª Zona Eleitoral, João Edson de Souza, determinou a prisão em flagrante de três pessoas que tentavam realizar cadastro eleitoral portando comprovantes de endereço fraudados. Na ocasião, o promotor acompanhava o penúltimo dia de cadastramento eleitoral, quando foi alertado por uma servidora do cartório sobre a falsificação dos documentos.

João Edson orienta que esse tipo de ato é considerado crime, previsto no artigo 348 do Código Eleitoral, com previsão de pena que pode chegar a seis anos de prisão. Segundo ele, nesta quarta-feira, 4, último dia para regularizar as pendências, a fiscalização será intensificada na zona eleitoral, inclusive com o reforço da Polícia Militar.

As três pessoas foram presas e encaminhadas para a delegacia regional de Miracema do Tocantins, onde foi lavrado o flagrante. A 5ª Zona Eleitoral abrange as cidades de Miracema do Tocantins, Tocantínia e Lajeado.