Polí­cia

Foto: Divulgação

A Polícia Civil por intermédio da 5ª Delegacia de Palmas recuperou na tarde dessa quarta-feira, 18, três televisores e uma caixa de som amplificada, os quais haviam sido furtados de uma escola municipal, localizada no Assentamento São João, zona rural da capital, no dia 6 de maio de 2016 e apreendeu um adolescente infrator, apontado como o autor do crime.

Conforme o delegado Evaldo de Oliveira Gomes, responsável pelo caso, logo após tomar conhecimento do desaparecimento dos equipamentos, a equipe do 5º DP, deu início às investigações e descobriu que um adolescente, de 16 anos de idade, tinha comercializado vários aparelhos eletrônicos, nos dias subsequentes ao crime, a comerciantes da região Sul da Capital.

Com base nas informações, os policiais civis chegaram até os estabelecimentos comerciais, onde localizaram e apreenderam três televisores, marca LG, de 32”, além de uma caixa de som amplificada. Todo os produtos foram levados à Delegacia, bem como as três pessoas que estavam de posse dos mesmos.

Diante dos fatos, três donos de estabelecimentos comerciais foram conduzidos ao 5º DP, onde foram autuados pelo crime de receptação e responderão aos respectivos processos em liberdade.

O adolescente, que já foi aluno da escola durante muitos anos, admitiu ao delegado a autoria do furto e foi autuado por ato infracional análogo ao crime de furto qualificado. Após os procedimentos cabíveis, ele foi entregue aos cuidados da Vara da Infância e da Juventude de Palmas.

Ainda conforme o delegado, o adolescente comercializou os produtos roubados por valores bem abaixo dos praticados no mercado, dizendo aos comparadores que, posteriormente, entregaria as notas fiscais, fato que nunca aconteceu. Contudo, as investigações terão continuidade, uma vez que um aparelho de DVD, outro televisor, bem como um notebook, que também foram roubados da escola municipal, ainda não foram recuperados pela PC. 

O delegado faz um alerta a toda a população para que evite adquirir produtos de procedência duvidosa e desconfie de preços muito baixos, pois existe uma grande possibilidade de serem de origem criminosa.  

“Fazemos um alerta a toda a população para que não caiam na tentação de comprar produtos sem nota fiscal, por preços bem abaixo do que realmente valem, porque, muitas vezes são mercadorias roubadas ou furtadas e quem os adquire incorre no crime de receptação. Na dúvida, procure a Polícia Civil”, ressalta.