Economia

Foto: Divulgação

Os governadores Marcelo Miranda (Tocantins), Marconi Perillo (Goiás), Confúcio Moura (Rondônia) e o vice-governador Carlos Brandão (Maranhão) estiveram na se Federação das Indústrias do Estado do Tocantins (Fieto), em Palmas/TO, nesta sexta-feira, 3, onde foram recebidos pelo presidente Roberto Magno Martins Pires em um almoço. Até o final da manhã eles participaram do Fórum de Governadores do Brasil Central sediado pela 2ª vez no Tocantins.

O fórum é uma realização do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento do Brasil Central que atua prioritariamente nas áreas da agropecuária, infraestrutura, industrialização, educação, empreendedorismo, turismo, tecnologia e inovação e meio ambiente.

Aos governadores, Pires falou sobre a situação política e econômica vivida pelo País que caracteriza um processo de desindustrialização. “Nós temos sido literalmente estrangulados pela política econômica e fiscal nos últimos anos, o que é demonstrado na nossa participação no PIB. Nos anos 80, a indústria respondia por cerca de 30% do PIB do Brasil. Hoje esse número não chega a 9%”, disse.

Avaliou ainda que os empresários veem nesse momento uma esperança para o País de retomar reformas importantes como a tributária, trabalhista e a previdenciária sendo essencial o apoio dos chefes de Estado neste trabalho de retomada do desenvolvimento.

“Um bloco de governadores tem muito mais força em Brasília do que um governador isolado. É, sem dúvida, uma ótima iniciativa que a indústria vê com bons olhos já que envolve uma agenda comum com a participação do setor produtivo”, observou.

Também estiveram na federação a vice-governadora do Tocantins, Claudia Lelis (PV), a primeira-dama do Estado e deputada federal, Dulce Miranda (PMDB), o secretário de Planejamento de Mato Grosso, Marco Aurélio Marraron, secretários de estado do Tocantins e dos estados que compõem o Consórcio Brasil Central, diretores da Fieto e empresários.