Polí­tica

Foto: Divulgação

Foi lançada a pré-candidatura do presidente licenciado do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) de Caseara, Marcio do Geová (PT), à Prefeitura de Caseara, na manhã do último sábado, 2, no plenário da Câmara de Vereadores do Município.

Um dos principais defensores da candidatura de Marcio, é o deputado estadual José Roberto Forzani (PT), “Nosso pré-candidato Marcinho , de longa data de militância, de compromisso com essa população, ele conhece essa cidade como poucos, ele está preparado para ser o gestor que essa cidade tanto deseja”, disse o deputado. No seu discurso, o parlamentar pediu empenho na campanha e orientou a militância a divulgar cada proposta à comunidade.

O pré-candidato fez um pronunciamento inflamado de quase meia hora, que empolgou a militância petista. Um dos pontos tocado foi a grave crise política em que passa o município, “Temos que fazer com que Caseara saia da insegurança jurídica, nossos comerciantes hoje não tem a certeza se vende para o servidor público, porque não tem a certeza se vai estar recebendo no dia certo. Caseara está um barco a deriva, a forma que estão conduzindo Caseara nesses últimos anos, fez com que chegasse nessa situação, isso afeta diretamente a nossa sociedade”, frisou.

O presidente licenciado do STTR, questionou a aprovação pela atual legislatura do novo Código Tributário do município, “Uma política tributaria errada, fez com que Caseara perdesse a maior parte de sua arrecadação, fez com que a alíquota do imposto municipal fosse elevado de 3 para 5%, sem debater com os nossos produtores de soja, (os produtores de soja) vão pagar os impostos em Marianópolis, é isso que está acontecendo: Caseara com déficit, declínio e Marianópolis crescendo e Caseara no retrocesso. Ninguém se cobra mais, para arrecadar mais” disparou.

Marcio também fez duras criticas a chamada política do “pão e circo” que tem se tornado um ciclo vicioso na cidade, “O que adianta a política do pão e circo que gasta quase 300 mil reais em uma festa, mas não é sensível, que com 118 mil reais teria condições de recuperar 320 quilômetros o de estradas vicinais, que atenderia muito mais as pessoas. Não é possível gastar 200 mil reais com show da banda Calcinha Preta, e a sociedade ficar só com a ressaca e a dor de cabeça e com poucos recursos no bolso para ir à farmácia comprar o seu remédio” desabafou.

Marcio finalizou falando de sua luta na agricultura, “Sou assentados da Reforma Agrária, filho de assentados, consegui meu diploma universitário vendendo quilos de mandiocas, que eu trazia na traseira de uma moto, e hoje sou contador formado, diploma que nunca usei. O diploma que toda vida usei, foi o da militância, pra atender os trabalhadores e trabalhadoras deste município” enfatizou o petista.

Aos 32 anos Marcio do Geová se lança pela primeira vez como pré-candidato. Líderes do Partido dos Trabalhadores negociam com o PMDB, PHS, PV e PMN uma possível aliança. Segundo o pré-candidato a prefeito, o grupo apresenta 13 pré-candidatos ao cargo de vereador. A convenção está marcada para o dia 24 de julho de 2016.