Polí­tica

Foto: Divulgação

Durante reunião de lançamento da pré-campanha a vereador do professor Francisco da Paz Carvalho, no Aureny IV, na noite dessa quinta-feira, 7, a pré-candidata à Prefeitura de Palmas e vice governadora, Cláudia Lelis (PV), discorreu sobre as carências na educação da Capital e sugeriu a criação do serviço de agentes da educação, cujo papel seria construir uma ponte entre a escola e a família.

“O município precisa oferecer uma educação de qualidade, com foco na formação humana e profissional dos nossos jovens, e com isso, vamos dar oportunidade de emprego aos universitários, enquanto monitoram e apoiam os alunos. Não tenho dúvidas de que isso vai reduzir muito a evasão escolar, além de facilitar o acompanhamento da família na formação dos filhos”, reforçou.

Cláudia Lelis falou também da estrutura de referência das escolas de tempo integral, contudo, destacou que as mesmas, não cumprem o propósito da “educação integral” com atividades extracurriculares e alimentação de qualidade.  Também falou da falta de vagas nas creches, cujo déficit chega a mais de cinco mil na Capital e destacou a falta de oportunidade aos jovens.  

Para a pevista, o Município tem a obrigação de criar oportunidades através do esporte, da educação e da cultura, o que passa por atitudes simples. “Temos muitas quadras abandonadas na nossa cidade, virando ponto de drogas, podemos revitalizá-las e ocupar esses espaços com atividades dirigidas, e assim, preparar nossos jovens para o mercado de trabalho e para a vida”, questionou ao destacar também a maior integração da escola com a comunidade através da abertura das unidades de ensino aos finais de semana para cursos de capacitação.

Sobre o postulante a uma vaga no Legislativo da Capital, professor Francisco, organizador da reunião, a pré-candidata Cláudia Lelis o elogiou pelo empenho e dedicação em favor da educação e oferta de empregos inclusivos, que atendam às pessoas com deficiência, como os surdos-mudos. “Eu tive o privilégio de acompanhar a trajetória desse brilhante trabalho que o professor Francisco vem desenvolvendo e tenho certeza que ele está preparado para assumir uma vaga na Câmara de Vereadores”, disse.

Igualdade social

Para Cláudia Lelis os problemas de Palmas, entre eles, o aumento da criminalidade, também passam pela ausência do social. “Para se ter segurança é necessário ter uma sociedade mais justa e mais igualitária, não adianta apenas policiais nas ruas, a Prefeitura também tem que cumprir o seu papel”, disse, apontando fatores que favorecem a criminalidade como a falta de iluminação pública e de limpeza da cidade.  

Participação

O evento contou com apresentação de capoeira pelo grupo Terreiro, e apresentação do coral de libras, criado a partir de projeto do professor Francisco com crianças surdas-mudas. Também se apresentou o musico Osiel. Foi ainda prestigiado pela presidente metropolitana do PMB, Ana Paula Santos.